Selecionador da Argélia demite-se após fracasso na CAN

O belga Georges Leekens anunciou esta terça-feira a demissão do cargo de selecionador da Argélia, motivada pela eliminação da equipa na primeira fase da Taça das Nações Africanas (CAN).

DN/Lusa

"Na sequência da pressão que tem sido feita sobre a federação e a seleção, decidi pôr fim ao meu contrato", explicou Leekens num comunicado divulgado no sítio da Federação Argelina de Futebol. O técnico referiu que, "para o bem de todos", optou por ser ele próprio a sair, desejando os "maiores sucessos à equipa nacional da Argélia".

A Argélia, equipa de estrelas das ligas europeias como Brahimi (do FC Porto), Mahrez ou Slimani (ambos do Leicester) fracassou em larga escala na Taça das Nações Africanas, quando era apontada como uma das grandes favoritas à conquista do troféu. A seleção magrebina terminou o grupo B da CAN 2017 na terceira posição, atrás do Senegal e da Tunísia, falhando a presença nos quartos-de-final.

Nos três jogos disputados, a Argélia somou dois empates, ambos a dois golos, com o Zimbabué e com o Senegal, e foi derrotada por 2-1 com a Tunísia.

Georges Leekens, de 67 anos, só tinha chegado ao cargo de selecionador da Bélgica em outubro, dias depois de abandonar o comando técnico do Lokeren, da Bélgica.