AC Milan disponível para um "acordo de liquidação" com a UEFA

O emblema milanês afirmou esta quinta-feira estar disponível para um "acordo de liquidação" com a UEFA no âmbito da investigação ao clube italiano sobre fair-play financeiro

O jornal Gazzetta dello Sport noticiou hoje que o Comité de Controlo Financeiro da UEFA vai recusar a proposta de "acordo voluntário" do clube milanês.

Em comunicado, o AC Milan diz que "sempre se declarou pronto para enfrentar o outro lado da moeda, que é o acordo de liquidação".

Com gastos de mais de 200 milhões de euros em novos jogadores na pré-temporada, levantaram-se questões sobre a estabilidade financeira do AC Milan agora liderado por um consórcio chinês, que comprou o clube a Silvio Berlusconi por 740 milhões de euros, em abril de 2017.

O AC Milan terá perdido 255 milhões de euros nos últimos três anos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

JAIME NOGUEIRA PINTO

O arauto da revolta popular

Rejeição. Não é, por enquanto, senão isso. Não pelos reaccionários, pelos latifundiários, pelos generais golpistas, pelos fascistas declarados ou encapotados, mas pelo povo brasileiro, que vota agora contra a esquerda dita idealista - e notoriamente irrealista quanto à natureza humana (sobretudo à própria) - que montou um "mecanismo" de enriquecimento ilícito e de perpetuação no poder digno dos piores hábitos do coronelismo e do caciquismo que os seus antepassados ideológicos, de Josué de Castro a Celso Furtado, tanto criticaram. Um povo zangado, enganado, roubado, manipulado pelos fariseus da tolerância, dos direitos humanos e das flores de retórica do melhor dos mundos, pelos donos de tudo - do pensamento único aos recursos do Estado.