Inglaterra goleia Ucrânia e defronta Dinamarca nas meias-finais

Na quarta-feira, em Wembley, a Inglaterra vai defrontar a Dinamarca.

Inglaterra e Dinamarca eliminaram hoje a Ucrânia e a República Checa, respetivamente, e marcaram encontro na segunda meia-final do Euro2020 de futebol, a disputar quarta-feira em Wembley, em Londres, um dia após o duelo Itália-Espanha.

Depois de vencer o seu grupo, com vitórias frente à Croácia (1-0) e República Checa (1-0), e um empate com a Escócia (0-0), e de eliminar a arquirrival Alemanha (2-0), nos 'oitavos', a Inglaterra assegurou a presença nas meias-finais com um triunfo por 4-0 frente à 'outsider' Ucrânia.

Na quarta-feira, a seleção inglesa regressa a Wembley 25 anos depois e no mesmo local da última meia-final de um Europeu que disputou, em 1996, tendo perdido na altura nos penáltis com a Alemanha. Ironicamente, o atual selecionador inglês Gareth Southgate falhou o pontapé decisivo.

A jogar pela primeira vez fora de Estádio de Wembley, no Olímpico de Roma, em Itália, a favorita Inglaterra chegou cedo à vantagem pelo capitão Harry Kane, aos 04 minutos, e dilatou a vantagem no início da segunda parte por Harry Maguire, aos 46.

Kane bisou aos 50, entrando para o grupo restrito de ingleses que marcaram dois golos em fases finais de Europeus (Alan Shearer, Teddy Sheringhan e Wayne Rooney) e alcançou os nove golos de Shearer na lista dos melhores marcadores ingleses em fases finais de campeonatos da Europa e do mundo, liderada por Lineker, com 10.

O quarto e último golo da seleção inglesa foi apontado pelo recém-entrado Jordan Henderson, aos 63 minutos, que se estreou a marcar com a camisola da seleção.

Os ingleses, campeões mundiais em 1966, regressam a Londres para tentar alcançar o primeiro título europeu da sua história, depois de terem sido semifinalistas em 1968 e 1996, enquanto os ucranianos fizeram história ao atingir os 'quartos'.

No primeiro embate do dia, no Estádio Olímpico de Baku, no Azerbaijão, num dos encontros mais surpreendentes dos quartos de final entre dois 'outsiders', a Dinamarca, campeã europeia em 1992, eliminou a República Checa, com um triunfo por 2-1.

Thomas Delaney, aos 05 minutos, e Kasper Dolberg, aos 42, fizeram os golos da Dinamarca, que chega pela primeira vez às meias-finais desde 1992 e vai defrontar, na quarta-feira, no Estádio de Wembley, em Londres, a 'anfitriã' Inglaterra.

A República Checa, que ergueu o troféu em 1976, então como Checoslováquia, ainda reduziu por Patrik Schick, aos 49 minutos, que fez o quinto golo na competição e igualou o português Cristiano Ronaldo no topo da lista de melhores marcadores.

A Dinamarca surge assim inesperadamente na luta pelo título europeu, depois de há três semanas Christian Eriksen ter sofrido uma angustiante paragem cardíaca que o deixou fora da competição, e que o obrigou a ser reanimado em pleno relvado.

A seleção dinamarquesa acaba por fazer uma prova em crescente, depois de duas derrotas nos dois primeiros jogos (Finlândia, 1-0, e Bélgica, 2-1) e de só ter garantida a qualificação, em segundo do grupo, com uma goleada por 4-1 frente à Rússia. Nos oitavos, a Dinamarca cilindrou o País de Gales (4-0).

Os checos, que se apuraram no lote dos melhores terceiros classificados, saem da prova de cabeça erguida, depois de nos 'oitavos' terem surpreendido os favoritos Países Baixos (2-0), num jogo em que a expulsão de Matthijs de Ligt precipitou a quebra holandesa.

Inglaterra e Dinamarca defrontam-se na quarta-feira nas meias-finais do Euro2020, em Wembley, e juntam-se a Espanha e Itália, que na sexta-feira venceram Suíça e Bélgica, respetivamente, que também têm encontro marcado na terça-feira, em Londres.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG