Inglaterra e França com nova imagem desafiam País de Gales

Na ressaca do Mundial arranca este sábado o Torneio das Seis Nações. Quem sucederá à Irlanda, vencedora nos dois últimos anos?

A edição 116 do histórico Torneio das Seis Nações, a mais antiga competição do mundo entre seleções em qualquer modalidade, tem este sábado o seu pontapé de saída.

Depois de, em 2015, num torneio discutido como nunca e que só no apito final do derradeiro jogo - o inesquecível Inglaterra-França, com 12 ensaios e ganho pela equipa da casa por 55-35! - se ficou a conhecer o vencedor da prova, apurado por diferença entre pontos marcados e sofridos, com os irlandeses a conquistarem o seu 13.º título por apenas seis pontos, esperava-se bem mais das principais seleções europeias na Taça do Mundo no final do ano. Mas estas acabariam por se vergar ao poderio das potências do hemisfério sul, com Nova Zelândia, Austrália, África do Sul e Argentina a serem apuradas para as meias-finais.

Assim, e passados só quatro meses do Mundial, seguem-se sete semanas de nova competição com as equipas a apresentarem muitas novidades, tentando aproximar-se do patamar em que se encontram de momento as quatro melhores nações do mundo do râguebi. Enquanto Inglaterra e França estreiam selecionadores, a Irlanda, vencedora nos dois últimos anos, inicia uma nova era sem o gigante Paul O"Connell, um dos maiores expoentes da sua história e que abandonou a cena internacional no pós-Mundial.

Leia mais pormenores na edição impressa e no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG