Infantino diz que Mundial 2022 será referência sanitária para eventos desportivos globais

Presidente da FIFA diz que quer garantir que o Campeonato do Mundo deste ano seja o melhor de todos os tempos mas também o "mais saudável de todos os tempos".

O presidente da FIFA, Gianni Infantino, disse esta quinta-feira que o Mundial deste ano no Qatar vai tornar-se uma "referência" para a realização de futuros eventos desportivos globais durante uma crise de saúde.

Os organizadores do Qatar do evento de 32 seleções, que vai decorrer entre 21 de novembro e 18 de dezembro, disseram que estão "cautelosamente otimistas" de que será a primeira reunião em massa de fãs de desporto para um evento desportivo global desde que a pandemia de covid-19 eclodiu há dois anos.

Os espetadores foram amplamente proibidos de participar nos Jogos Olímpicos de Tóquio do ano passado, exceto em alguns eventos fora da capital japonesa, e nos Jogos Olímpicos de Inverno que estão a decorrer na China.

A FIFA anunciou esta semana que foram feitos pedidos de 17 milhões de bilhetes para o primeiro Mundial na região árabe e procurou tranquilizar os adeptos sobre as medidas de segurança durante uma conferência online de saúde organizada pelas autoridades do Qatar.

O futebol tem o dever de "garantir que este não seja apenas o melhor Mundial de todos os tempos, mas também o Mundial mais saudável de todos os tempos", disse Infantino num comunicado gravado para o evento, acrescentando que as normas sanitárias e a segurança serão "uma referência para futuros eventos desportivos da mesma escala".

A mesma mensagem foi dada pelo diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, que destacou os "desafios únicos" enfrentados pelos organizadores devido à pandemia.

A OMS tem trabalhado com o governo do Qatar em segurança sanitária, doenças infecciosas, segurança alimentar, coordenação e comunicação durante o Mundial. "As lições aprendidas com a experiência do Qatar neste Mundial vão ajudar-nos a projetar medidas de saúde e segurança para outros eventos de grande escala", acrescentou Tedros.

"Aos nossos olhos, a pandemia deu um novo significado ao Qatar 2022. O nosso Mundial pode muito bem ser a primeira vez que o mundo poderá reunir-se para celebrar a paixão pelo futebol. Estamos cautelosamente otimistas de que podemos ser o país que vai hospedar a primeira verdadeira reunião de fãs de todo o mundo desde o início da pandemia", disse Hassan Al Thawadi, membro do governo do Qatar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG