Há um mês em coma, Schumacher continua "estável"

A imprensa alemã e francesa noticiou que o ex-piloto de Fórmula 1 já estaria a ser despertado do coma induzido, mas em comunicado a porta-voz de Schumi não confirmou a versão avançada.

O alemão Michael Schumacher mantém-se "estável", mas fora da situação "crítica", declarou nesta quarta-feira a sua porta-voz, um mês depois do acidente de esqui nos Alpes franceses que deixou em coma o ex-piloto de Fórmula 1.

O comunicado de Sabine Kehm, porta-voz do heptacampeão mundial de Fórmula 1, surgiu no mesmo dia em que o diário francês L'Équipe noticiou que os médicos do hospital de Grenoble onde Schumacher está internado tinham começado a despertá-lo progressivamente do coma induzido.

O jornal, que citava fontes internas do hospital, adiantou que o ex-piloto tinha dado "as primeiras reações positivas".

"Todas as declarações sobre o estado de saúde do Michael que não provenham da equipa médica ou das pessoas que o rodeiam são pura especulação", indicou Sabine Kehm em comunicado.

Além do L'Équipe, também o diário alemão Bild noticiou nesta quarta-feira que os médicos de Schumacher o acordariam do coma induzido dentro de pouco tempo.

Os familiares do piloto alemão reafirmam que apenas darão mais pormenores quando houver uma alteração significativa do seu estado de saúde.

Michael Schumacher foi internado no hospital de Grenoble a 29 de dezembro, na sequência de um acidente de esqui que sofreu na estância de Meribel, nos Alpes franceses. Schumacher bateu com a cabeça numa pedra após uma queda, quando esquiava fora de pista.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG