Guarda-redes sobreviveu à queda do avião mas fica sem perna

Atleta de 24 anos do Chapecoense teve de ser amputado após o acidente de aviação na Colômbia

Jackson Follmann foi uma das seis pessoas resgatadas com vida do avião que caiu esta terça-feira na Colômbia, mas não escapou ileso ao acidente que matou 71 pessoas. O guarda-redes do Chapecoense perdeu uma perna, que teve de ser amputada devido ao acidente, segundo o Globo Esporte.

O atleta de 24 anos está internado num hospital da região onde o avião se despenhou, assim como outros dois jogadores do Chapecoense que iam para Medellín, na Colômbia, para disputar a final da Taça Sul Americana. Além da equipa brasileira do Chapecoense, iam a bordo do avião a equipa técnica e restante comitiva. Entre os passageiros estavam ainda 22 jornalistas.

"Num acidente de avião, a chance de sobrevivência é praticamente zero. Ele estar entre os sobreviventes é um milagre de Deus", afirmou Paulo Follmann, o pai de guarda-redes, ao G1.

A família mostrou-se muito angustiada por não saber o estado de saúde de Jackson e contou que quem deu a notícia do acidente foi a noiva do jogador. "Na hora meu marido entrou em choque, ficou apavorado. Eu também", contou Marisa, mãe de Jackson. "Ficámos sem chão, mas coração de mãe nunca se engana. Meu coração dizia que Deus estava a protegê-lo e que ele estava bem", continuou a mãe.

Follman foi contratado pelo Chapecoense em maio deste ano, como reforço para o campeonato brasileiro.

Exclusivos