Tondela sonha com 30 pontos para assegurar manutenção

Com um orçamento de três milhões de euros, o Tondela vai estrear-se na I Liga com um plantel cheio de novidades.

O Tondela, que se estreia esta época na I Liga de futebol, traçou por meta a conquista de 30 pontos, assegurando o sonho da manutenção com um plantel "com muita maturidade no setor recuado".

"Não há que pedir ou sonhar com mais do que a manutenção. Se o sonho até agora tem sido sempre subir, neste novo patamar o nosso único sonho é conseguir fazer 30 pontos tão rápido quanto possível, para garantir a manutenção", disse o presidente do Tondela.

Em declarações à agência Lusa, Gilberto Coimbra explicou que é "muito importante garantir cedo a manutenção, para se poder vir a construir rapidamente a época seguinte".

"Admito que o plantel do Tondela não é um plantel de topo, nem assim podia ser, mas é sem dúvida um plantel de primeira liga", evidenciou.

No seu entender, o Tondela conseguiu formar um plantel equilibrado, constituído por 26 jogadores, que tem como mais-valia a sua defesa.

"É um plantel essencialmente de experiência, de maturidade. É um plantel com muita maturidade no setor recuado, que é onde temos de ter algum cuidado", sustentou.

De acordo com o presidente do Tondela, o plantel ainda não está fechado, já que "um plantel de I Liga nunca pode estar fechado até final de agosto".

"Há sempre um jogador que pode vir à última da hora, até para o setor da frente que tem de ser rápido para criar surpresas. Agora se me perguntarem se poderá vir já, digo que não; mas se perguntarem se há possibilidades de entrarem jogadores, digo sim com toda a certeza", referiu.

A equipa técnica do clube 'auriverde' é liderada por Vítor Paneira, que regressou ao Tondela para se estrear como treinador na I Liga.

"É um treinador que conhece a casa e o presidente: esteve cá dois anos e num deles foi campeão. É um 'feeling' do presidente, espero que possa vir a ser muito feliz em Tondela", alegou.

Sobre o orçamento da equipa que deu um passo de gigante, já que há 10 anos disputava os distritais, Gilberto Coimbra revela que ultrapassa os três milhões de euros.

"O orçamento anda à volta dos três milhões e qualquer coisa, dentro do que é normal para aquelas equipas que vão viver de aflição, em que cada ponto é uma batalha e em que é importante conseguir os 30 pontos para ganhar a guerra", informou.

Num campeonato em que identifica "clubes grandes, intermédios e aflitos", não tem dúvidas de que o Tondela "está naturalmente no grupo dos aflitos", que aguardam "com ansiedade o primeiro minuto do primeiro jogo da época".

A partida de arranque terá lugar com o Sporting em Aveiro, em casa emprestada, tal como à nona jornada com o Benfica, devido às obras de requalificação e ampliação no Estádio João Cardoso, em Tondela.

"Esperamos que as obras estejam concluídas em novembro, para que o jogo com o FC Porto se realize no nosso estádio", concluiu.

Os restantes jogos, a partir da terceira jornada (com o Nacional), terão lugar no estádio João Cardoso, apesar de as obras continuarem em curso.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG