Tinha quatro interessados mas escolheu "sonho" inglês

Presidente diz que recebeu propostas de quatro grandes clubes e agradece a Jorge Mendes pela maior venda de sempre.

Bebé está "a viver um sonho". Veio "do nada" (como diz o presidente executivo do Man. United), mas já está garantido na equipa principal do clube inglês, esta época. E o V. Guimarães celebra a maior venda da sua história (nove milhões de euros), elogiando o "baluarte" do negócio, o agente Jorge Mendes.

Parco em palavras, Bebé só diz (à Antena 1) que está "a viver um sonho". Mas, à volta - da Casa do Gaiato onde cresceu (ver texto principal) ao V. Guimarães, onde deu o salto - todos falam da transferência para o Manchester United. O presidente vimaranense, Emílio Macedo, deu uma conferência de imprensa para reagir ao negócio, "a maior transferência da vida do clube", que vai "permitir resolver alguns problemas de tesouraria". E, além de revelar que havia quatro grandes clubes europeus interessados, Bebé escolheu o United "por sua livre vontade", o dirigente deixou grandes agradecimentos para o agente que intermediou o negócio. "Jorge Mendes foi o baluarte da transferência. Este País deve-lhe muito, pois consegue fazer grandes transferências e trazer dinheiro para o País. Isto é como uma exportação", disse Macedo, que amealhou nove milhões por um atleta contratado a custo zero.

Porém, a intervenção de Jorge Mendes também causa polémica, pois outro empresário, Gonçalo Reis, alega que tinha um contrato de exclusividade com o jogador. Ontem, Emílio Macedo garantiu que a questão "está resolvida", mas Gonçalo Reis disse à Lusa que iria reagir mais tarde.

Seja como for, Bebé já está certo em Manchester, onde o ex-treinador Manuel Machado crê que ele se pode tornar "jogador de eleição e de nível mundial". David Gill garante que o médio-ofensivo, de 20 anos, vai ficar no plantel esta temporada. "É um rapaz que precisa de aprender inglês e integrar o plantel do United, pois vem do nada em vários aspectos", disse o dirigente, ao site do clube, por entre elogios ao potencial "espantoso" do português.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG