"Organizados e competentes", a receita de Sérgio Conceição

O Sporting de Braga defronta Belenenses no sábado, para a 13.ª jornada da I Liga, e Sérgio Conceição espera conseguir dar conta da equipa "revelação" do Belenenses.

O treinador do Sporting de Braga, Sérgio Conceição, disse nesta sexta-feira esperar um jogo competitivo diante do Belenenses, sábado, no Restelo, na 13ª jornada da I Liga de futebol, e realçou que o campeonato é a competição mais importante.

"Espero um jogo competitivo entre equipas separadas por um ponto. O Belenenses vai querer retificar a derrota com o Benfica. Defensivamente é uma equipa bem organizada e, na frente, tem três jogadores de valia técnica. Esperamos ser competentes, organizados e competitivos para conseguir o nosso objetivo, que são os três pontos, que nos permitam começar definitivamente a 'colar' aos primeiros lugares, que é o nosso objetivo desde o início de época", afirmou.

Na conferência de imprensa de antevisão à visita ao Belenenses, o técnico elogiou a formação do Restelo, considerando que está a ser a equipa "revelação" desta época, tendo em conta "o que foi no ano passado" e, mesmo havendo ainda "muitos jogos por disputar, até ao momento justifica plenamente o lugar que ocupa", disse.

Cinco dias depois, o Braga volta a Lisboa, para defrontar o Benfica, nos oitavos de final da Taça de Portugal, mas Sérgio Conceição não quer os seus jogadores a pensarem já nesse jogo, porque "correm o risco de não fazer bem nem uma coisa nem outra".

"Quem pensa assim está fora do que são os objetivos de uma equipa. É um chavão no futebol, mas é verdade, o mais importante é o próximo jogo e, para nós, independentemente de termos objetivos na Taça de Portugal e da Taça da Liga, o mais importante é o campeonato e este jogo com o Belenenses é importantíssimo para nós", disse.

Os minhotos iniciam no sábado um conjunto de 10 jogos - campeonato, Taça de Portugal e Taça da Liga - em pouco menos de um mês meio, a maioria deles fora de casa, "um ciclo importante, sem dúvida nenhuma, mas não decisivo" para o resto da temporada, considerou Sérgio Conceição.

"São todos jogos importantes, mas acho que o plantel é competitivo e dá-nos garantias para disputar esses jogos com essa mesma competitividade. Temos é que estar focados jogo após jogo", disse.

O técnico não quis responder ao vice-presidente do Vitória de Guimarães, Armando Marques, que criticou o treinador após o clássico minhoto de domingo, que terminou empatado 0-0, dizendo que Sérgio Conceição "está num processo de maturação, é jovem e se calhar daqui por uns anos já vai estar preparado para abordar este tipo de derbies com mais experiência".

"O clube já comentou, não há mais nada a comentar, e se quer que lhe diga não conheço essa pessoa", comentou apenas.

Sporting de Braga, quinto classificado, com 22 pontos, e Belenenses, sexto, com 21, defrontam-se no sábado, às 20:15, no Estádio do Restelo, em Lisboa, jogo que será arbitrado por Paulo Baptista, de Portalegre.

Exclusivos

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz hoje, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.