Luís Duque lava as mãos do caso João Pinto

Actual administrador e Rui Meireles dizem desconhecer qualquer fraude fiscal na contratação do jogador pelo Sporting em 2000.

Se houve fraude fiscal, os administradores do Sporting que negociaram em 2000 a contratação de João Pinto nada tiveram que ver com isso. Esta é a tese central da defesa de Luís Duque, actual administrador executivo da SAD, e Rui Meireles, à época director financeiro, que, há 11 anos, contrataram o jogador. Ambos, juntamente com João Pinto e José Veiga, começarão a 23 de Janeiro de 2012 a ser julgados no chamado caso João Pinto.

Segundo a acusação do Ministério Público, subscrita por um juiz de instrução, os quatro arguidos agiram em co-autoria num esquema de fraude fiscal qualificada relativo a um contrato de direitos de imagem do jogador de quatro milhões de euros.

Leia mais no e-paper do DN.

Exclusivos