Danielsson rescinde contrato por "motivos familiares"

O internacional islandês, de 33 anos, rescindiu com o Belenenses, de modo a poder regressar a um clube da terra natal.

O internacional islandês Helgi Danielsson rescindiu o contrato que o ligava ao Belenenses, alegando "motivos familiares" para regressar ao seu país, anunciou o clube da I Liga na página oficial.

"Anunciamos que o jogador Helgi Danielsson já não faz parte do plantel do Belenenses. Na passada segunda-feira, o jogador pediu para que fosse libertado, pois, por motivos familiares, teria de jogar num clube perto de casa", pode ler-se no comunicado.

Por seu lado, o médio agradeceu ao presidente da SAD, Rui Pedro Soares, e ao treinador Lito Vidigal "a compreensão" pela situação, frisando que "foi um prazer" representar o emblema de Belém.

"Obrigado a todos pelo carinho demonstrado nesta minha passagem e desejo a maior sorte do mundo aos meus companheiros", referiu Danielsson, em declarações produzidas na página dos "azuis".

O internacional islandês, de 33 anos, chegou ao Restelo no início da época passada, proveniente dos suecos do AIK Solna, tendo participado em 31 jogos (25 como titular) e apontado um golo com a camisola da Cruz de Cristo.

Já esta época, Danielsson fez parte das escolhas de Lito Vidigal nas duas primeiras rondas da I Liga, tendo inclusivamente feito parte do "onze" que iniciou o último encontro, diante do Nacional da Madeira.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.