Benfica e FC Porto jogam dia 30, um dia depois do Sporting

A visita do Benfica, líder do campeonato de futebol, ao estádio do Sporting de Braga, em jogo da 25.ª jornada da prova, realiza-se no domingo, 30 de março, às 17.00, informou esta sexta-feira a Liga de clubes.

De acordo com o comunicado publicado no sítio oficial do organismo na Internet, outro dos encontros mais apelativos da ronda, a receção do Sporting, segundo classificado, ao Vitória de Guimarães, sétimo, está agendado para o dia anterior, com início às 20.15, sendo ambos transmitidos em direto na Sport TV.

A partida do tricampeão FC Porto, atual terceiro posicionado, no recinto do Nacional, que ocupa a quinta posição, encerra a jornada do domingo, a partir das 19:15, também com transmissão em direto no canal codificado.

Os "aflitos" Belenenses e Paços de Ferreira, penúltimo e antepenúltimo colocados da I Liga, respetivamente, abrem a ronda na sexta-feira, disputando um jogo muito importante na luta pela manutenção, com início às 20:00 e igualmente transmitido pela Sport TV.

I Liga

Programa da 25.ª jornada:

Sexta-feira, 28 mar:

Belenenses - Paços de Ferreira, 20.00 (Sport TV).

Sábado, 29 mar:

Sporting - Vitória de Guimarães, 20.15 (Sport TV).

Domingo, 30 mar:

Arouca - Vitória de Setúbal, 16.00.

Académica - Olhanense, 16.00.

Estoril-Praia - Rio Ave, 16.00.

Gil Vicente - Marítimo, 16.00.

Sporting de Braga - Benfica, 17.00 (Sport TV).

Nacional - FC Porto, 19.15 (Sport TV).

II Liga

Programa da 36.ª jornada:

Sábado, 29 mar:

Benfica B - Desportivo de Chaves, 16:00 (Benfica TV).

Leixões - Marítimo B, 16:00.

Domingo, 30 mar:

Desportivo das Aves - Santa Clara, 11:15 (Sport TV).

FC Porto B - União da Madeira, 15:00 (Porto Canal).

Farense - Feirense, 15:00.

Sporting B - Oliveirense, 16:00.

Portimonense - Sporting de Braga B, 16:00.

Trofense - Sporting da Covilhã, 16:00.

Atlético - Académico de Viseu, 16:00.

Beira-Mar - Tondela, 16:00.

Penafiel - Moreirense, 16:00.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

Discretamente, sem ninguém ver

Enquanto nos Estados Unidos se discute se o candidato a juiz do Supremo Tribunal de Justiça americano tentou, ou não, há 36 anos abusar, ou mesmo violar, uma colega (quando tinham 17 e 15 anos), para além de tudo o que Kavanauhg pensa, pensou, já disse ou escreveu sobre o que quer que seja, em Portugal ninguém desconfia quem seja, o que pensa ou o que pretende fazer a senhora nomeada procuradora-geral da República, na noite de quinta-feira passada. Enquanto lá se esmiúça, por cá elogia-se (quem elogia) que o primeiro-ministro e o Presidente da República tenham muito discretamente combinado entre si e apanhado toda a gente de surpresa. Aliás, o apanhar toda a gente de surpresa deu, até, direito a que se recordasse como havia aqui genialidade tática. E os jornais que garantiram ter boas fontes a informar que ia ser outra coisa pedem desculpa mas não dizem se enganaram ou foram enganados. A diferença entre lá e cá é monumental.

Premium

Ruy Castro

À falta do Nobel, o Ig Nobel

Uma das frustrações brasileiras históricas é a de que, até hoje, o Brasil não ganhou um Prémio Nobel. Não por falta de quem o merecesse - se fizesse direitinho o seu dever de casa, a Academia Sueca, que distribui o prémio desde 1901, teria descoberto qualidades no nosso Alberto Santos-Dumont, que foi o verdadeiro inventor do avião, em João Guimarães Rosa, autor do romance Grande Sertão: Veredas, escrito num misto de português e sânscrito arcaico, e, naturalmente, no querido Garrincha, nem que tivessem de providenciar uma categoria especial para ele.