Gravações de videovigilância já estão nas mãos da PSP

As autoridades policiais receberam os registos de vídeo na íntegra no passado dia 15 de fevereiro, de acordo com o que fonte federativa revelou à Lusa.

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) entregou as gravações integrais do sistema de videovigilância do edifício à Polícia de Segurança Pública (PSP), na sequência do assalto ocorrido a 10 de fevereiro, disse esta quinta-feira à Lusa fonte oficial federativa.

"Foram entregues à posse das autoridades policiais, na sede da FPF, no passado dia 15 de fevereiro, as gravações integrais de todo o sistema de videovigilância instalada no edifício da FPF, no formato solicitado", afirmou a mesma fonte, acrescentando que os registos remontam a cinco dias antes do assalto (segunda-feira, 4 de fevereiro) e até dois dias depois (terça-feira, 12 de fevereiro).

O memo relato dá ainda conta da total disponibilidade da FPF "para colaborar com as autoridades na resolução deste caso".

No dia 10 de fevereiro, a sede da FPF, de onde foram furtados os computadores do presidente, Fernando Gomes, da sua assistente e do Conselho de Arbitragem, Vítor Pereira, foi assaltada, tendo o organismo reagido em comunicado, no próprio dia do furto, explicando que "os assaltantes se dirigiram diretamente ao gabinete do presidente e limitaram-se a levar os computadores do dr. Fernando Gomes e da sua assistente".

No mesmo comunicado, Fernando Gomes garantiu não se sentir afetado com "estratégias de intimidação".

O Comando Metropolitano de Lisboa (COMETLIS) da PSP referiu na altura ter recolhido vestígios "muito fortes" para ajudar as autoridades a chegar aos autores do assalto à sede federativa.

Uma fonte policial disse então à Lusa que foram encontrados um martelo, que terá sido utilizado para partir os vidros, uma mochila e outro material, os quais foram abandonados no local após o assalto, acrescentando que o edifício tem câmaras de videovigilância, que terão registado os acontecimentos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG