Falência técnica geral e passivos quase nos mil milhões

Sporting passou de prejuízo a lucro, ao contrário dos rivais, mas vai demorar mais tempo até, eventualmente, sair da falência técnica. Saiba quem paga maiores salários e quem mais deve entre os "grandes".

O pior semestre de sempre do FC Porto, o melhor da última década do Sporting e o Benfica mais gastador e valioso da história: são estas as principais conclusões dos relatório e contas do primeiro semestre 2013/14 comunicados pelas SAD dos "três grandes" à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, que atestam a recuperação do Sporting nos últimos meses e a dependência de FC Porto e Benfica de grandes transferências na apresentação de contas positivas.

O maior destaque vai, desde logo, para uma inversão do rumo financeiro em Alvalade: os leões passaram de um prejuízo de quase 22 milhões de euros para 3,72 milhões de lucro no primeiro semestre da época, face ao período homólogo da época passada. Benfica e FC Porto, por sua vez, "caíram" cerca de 35 milhões de euros, o que demonstra a dependência que os dois rivais têm na transferência dos seus principais ativos, que têm apontado para uma necessidade que ronda os 40 milhões de euros/época em mais valias.

O FC Porto foi o único clube a conseguir uma redução do passivo, ao baixar 7,4 milhões de euros para 212,7 milhões, o valor mais baixo dos "três grandes", ainda que o ativo total líquido também tenha caído 16%, para 191,1 milhões de euros.

No caso do Benfica, o passivo subiu 2,1% para 449,8 milhões de euros, um valor exorbitante que aguarda a "injeção" das vendas de Matic, André Gomes e Rodrigo para ser, certamente, abatido no relatório intercalar. As águias necessitam de mais 39 milhões de euros para o ativo cobrir o passivo. O Sporting, por sua vez, tem o passivo situado nos 264,393 milhões de euros, valor que representa 177,67% do valor do ativo.

O resultado líquido positivo do Sporting (3,772 milhões) é o melhor da última década e, para isso, muito contribuíram as vendas de Tiago Illori e Bruma. Em sentido inverso, o FC Porto, cujas vendas de João Moutinho e James Rodríguez (70 milhões) entraram em 2012/13 e a da Otamendi (12) só integrará o relatório intercalar, apresenta o pior semestre de sempre, com um prejuízo (29,239) bem superior aos 8,88 milhões de euros registados em 2011/12.

No caso do Benfica, o semestre apresenta-se no "vermelho" antes do relatório intercalar que deverá ser o melhor de sempre da SAD: só aí serão contabilizados os 70 milhões de euros somados pela venda de Matic ao Chelsea e pela alienação dos passes de André Gomes e Rodrigo. Cria-se, por isso, a expetativa sobre se o clube da Luz será o primeiro a sair da situação de falência técnica - o ativo não cobre o passivo e os capitais próprios são negativos.

Neste cenário, o FC Porto é quem está mais "folgado", com 21,6 milhões negativos, mas com menos dinheiro em caixa em perspetiva. O Sporting, com 115,68 milhões de euros de capitais próprios negativos, ainda terá um longo caminho a percorrer até inverter esta situação, apesar de ser o clube mais "poupado" nos salários.

O Sporting gastou "apenas" 15,24 milhões de euros em pessoal no primeiro semestre, uma redução de um terço, enquanto o FC Porto baixou 4,23% para 24,67 milhões de euros. Já o Benfica registou uma subida de 17,29% para 28,48 em gastos com os seus profissionais, registando o valor mais alto de sempre da SAD.

O plantel encarnado está, inclusive, avaliado em mais 42,8 milhões de euros do que o do FC Porto e vale o quádruplo do do Sporting. No que toca aos passes dos jogadores, o Benfica declara seis a 100% no plantel principal (Oblak, Luisão, Fejsa, Salvio, Enzo Pérez e Lima), o FC Porto quatro (Danilo, Alex Sandro, Maicon e Jackson) e o Sporting não divulgou as percentagens que detém.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG