Agitado início de época com a Supertaça como aperitivo

Com dez jogos disputados neste arranque de temporada, o Paços apresenta-se hoje com elevados níveis de competitividade, mas também com um desgaste evidente. Nunca na história do clube houve uma equipa envolvido em tantas frentes.

Participação na final da Taça de Portugal, competição em duas eliminatórias da Liga Europa, ensaios em seis jogos particulares, e a disputa da Supertaça, esta noite, em Aveiro, frente ao campeão nacional FC Porto, resumem os últimos dois meses da equipa do Paços de Ferreira, que nunca no seu historial se viu envolvida em tantos compromissos.

A formação nortenha foi das últimas a ir para férias e das primeiras a regressar aos trabalhos, gozando apenas de quatro semanas de descanso para recarregar baterias antes de mergulhar no ataque à nova temporada.

E que arranque frenético para os castores nesta fase inicial de 2009/2010, com a equipa a deter, para já, o recorde das maiores deslocações da pré-época. Entre o estágio em Celorico da Beira, as viagens à Moldávia e a Israel, nos compromissos da Liga Europa, a participação num torneio em Melgaço e os jogos particulares em Chaves e Aveiro, os pacenses somaram, em pouco mais de um mês, milhares de quilómetros em deslocações.

O fim do sonho nas competições europeias, sublinhado na passada quinta feira, com a derrota frente aos israelitas do Bnei Yehuda, representou o fechar de um capítulo em termos competitivos, mas deixou apenas 72 horas para os jogadores do Paços recuperarem do esforço, antes de se aplicarem neste compromisso com FC Porto, no jogo da Supertaça.

O fôlego dos 'castores' não será certamente o melhor, mas é certo que em termos de ritmo jogo será um Paços de Ferreira em altas rotações aquele que se vai apresentar frente aos 'dragões'.

Sérgio Cruz, preparador físico do plantel do Paços de Ferreira, que este ano teve um trabalho especialmente incisivo na recuperação e preparação dos seus atletas, acredita que poderá haver vantagens neste rápido restabelecer dos índices físico e competitivos, já no jogo de hoje.

"Não há dúvida que a participação em competições oficiais [na Liga Europa] deram à equipa uma preparação diferente daquela que existiria apenas com jogos particulares", analisou Sérgio Cruz ao DN, acrescentando:  "Estamos a trabalhar com cargas físicas mais exigentes, o que se reflecte até a nível psicológico nos jogadores."

Ainda assim, o preparador físico do Paços de Ferreira observou também o momento do adversário: "O FC Porto fez, neste defeso, jogos particulares com adversários que exigiram muito da equipa. Estamos conscientes que eles se irão apresentar em grande força."

A preocupação de Sérgio Cruz é que a equipa "consiga debelar o cansaço de um arranque de época exigente, principalmente com as longas viagens", algo que já começou a ser preparado no final da temporada anterior: "Quando os jogadores foram para férias levaram um plano de treino que a maior parte cumpriu para que se apresentassem com níveis físicos razoáveis."

E sobre este anormal arranque de época para um Paços de Ferreira, pouco habituado a tantos compromissos, Sérgio Cruz não quis deixar de sublinhar que a equipa teve todas as condições para se preparar para estes desafios.
"Somos um clube humilde, nem sempre com as melhores condições para enfrentar tantas competições. Mas com o esforço de todos os elementos da nossa estrutura acabamos por ter tudo aquilo que precisávamos para encarar, ao mais alto nível, estes compromissos", concluiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG