UEFA unânime: Mundial do Qatar 2022 no inverno

Todos os 54 membros da UEFA concordaram hoje, no decorrer de uma reunião magna da entidade, que o Mundial de futebol do Qatar de 2022 deve decorrer no inverno e não no período habitual do verão.

A notícia foi avançada pela estação televisiva britânica BBC, na sua página na Internet, citando o vice-presidente da FIFA Jim Boyce, presente na reunião do comité executivo da UEFA em Dubrovnik, na Croácia.

O responsável declarou que as federações europeias de futebol foram unânimes: "É impossível disputar um torneio de futebol no Qatar no verão", porque as temperaturas naquela região do Golfo Pérsico podem atingir os 50 graus celsius nessa altura do ano".

"Toda a gente esteve de acordo quanto a isso", afirmou Boyce.

O vice-presidente da FIFA sublinhou que o debate entre as federações europeias estava agora sobre se preferiam a competição em janeiro de 2022 ou em novembro ou dezembro do mesmo ano.

As altas temperaturas no Qatar nos meses habituais do Mundial (junho e julho) têm sido uma preocupação desde que a FIFA decidiu, em 2010, atribuir a organização do torneio àquele país do Golfo Pérsico.

Boyce ressalvou, ainda assim, que a FIFA não se deve precipitar.

"Ainda faltam nove anos e toda a gente acha que a FIFA deve falar com as partes interessadas e chegar a uma solução que perturbe o menos possível o futebol" a nível mundial, afirmou o responsável.

O comité executivo da FIFA reúne-se em 03 de outubro, em Zurique, num encontro em que se espera que saia uma alteração à data de realização do Mundial do Qatar.

O Qatar argumenta que consegue organizar um Campeonato do Mundo de futebol no verão, construindo estádios com ar condicionado, que permitiriam disputar os jogos a uma temperatura em torno dos 28 graus celsius.

No entanto, subsistem questões quanto aos adeptos e à forma como vão sentir o impacto do calor fora dos estádios.

Na semana passada, a associação que representa os principais clubes europeus exigiu ser consultada previamente quanto a uma eventual alteração da data do torneio, argumentando que as alterações de calendário poderão prejudicar as equipas do velho continente.

Quanto ao presidente da FIFA, Joseph Blatter, afirmou que a entidade a que preside nunca disse especificamente que o Mundial teria de se realizar no verão. Por outro lado, numa entrevista publicada hoje num jornal alemão, o suíço admitiu que houve pressões políticas e económicas para que a FIFA escolhesse o Qatar como país anfitrião do Mundial de 2022.

O presidente da UEFA, Michel Platini, que publicamente já assumiu ter votado pelo Qatar, está a favor de mudar a data do torneio, sugerindo que a melhor altura seriam os meses de janeiro e fevereiro.

No entanto, essa janela entraria em choque com os Jogos Olímpicos de Inverno, também agendados para 2022.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG