Scolari coloca cargo de selecionador à disposição

Selecionador do Brasil deixa nas mãos da Confederação Brasileira de Futebol a decisão sobre se deve ou não continuar no cargo. Técnico lembra que em três Mundiais foi sempre às "meias".

Luiz Felipe Scolari confirmou que irá, na sequência do 4.º lugar obtido no Mundial 2014, colocar o cargo de selecionador do Brasil à disposição, conforme já estava previamente decidido. Mas isso não significa que vá deixar a seleção.

"Quem tem de decidir se continuo no cargo é o presidente da CBF. Acordámos que eu poria o lugar à disposição depois do Mundial, quer ganhasse, quer perdesse, e assim será", explicou, após a derrota por 3-0 com a Holanda.

"Agora, vou apresentar um relatório à CBF sobre aquilo que, em minha opinião, determinou o fracasso do Brasil neste Mundial, organizado em casa, e deixarei nas mãos dos responsáveis da CBF sobre a minha continuidade ou não. Se eu gostaria de continuar? Não é assunto que discuto com jornalistas", acrescentou.

Scolari lamenta que o Brasil tenha 'vacilado' nos dois últimos jogos da prova, apesar de nunca ter sido, propriamente, uma equipa que mostrasse futebol de campeã. "Penso que o torneio foi excelente, quer no aspeto organizativo, quer desportivo. A seleção não esteve bem na parte final da competição, mas conseguimos o quarto lugar e não podemos deixar de elogiar os nossos jogadores e a forma como jogaram, apesar de terem perdido", analisou.

"Continuo a manter a opinião de que não jogámos mal em termos gerais, mas, em futebol, às vezes basta um minuto para mudar um resultado. Com a Alemanha, bastaram alguns minutos para precipitar o desastre. Mesmo com a Holanda, houve outro minuto, o do primeiro golo, em que a defesa se desorganizou e cedeu um penálti que colocou o nosso adversário na frente do marcador", reforçou.

O selecionador entende que trouxe melhorias à seleção canarinha. "Nos Mundiais de 2006 e 2010, o Brasil não ficou entre os quatro primeiros. Desta vez ficou. Além disso, esta equipa ganhou a Taça das Confederações há um ano", justificou.

"Como selecionador é a terceira vez que estou em campeonatos do mundo e que termino nos quatro primeiros, duas vezes pelo Brasil e uma vez com Portugal", completou Scolari, que foi campeão com a "canarinha" em 2002 e quarto classificado com Portugal, em 2006, e com o Brasil, em 2014).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG