Ronaldo: "Vou ficar muito contente ou muito triste"

Cristiano Ronaldo não esconde que perder outra vez a Bola de Ouro para Messi mexeria consigo, mas diz que não vai encarar a luta pelo troféu "como uma guerra".

Vídeo da entrevista dada por Ronaldo à FPF

Será dia 7 de janeiro de 2013 que Cristiano Ronaldo ficará a ser se ganhou a sua segunda Bola de Ouro (a primeira e única foi em 2008) ou se perdeu, pelo quarto ano consecutivo, o galardão para Messi. O capitão da seleção portuguesa não esconde que quer ser novamente eleito o melhor do mundo, mas defende que não há "guerra por isso".

"O que ficar decidido ficará. Se calhar, vou ficar muito contente ou muito triste, mas é a lei da vida. Não posso viver consoante um prémio individual, não seria justo", frisou o futebolista português, em entrevista ao sítio da Federação Portuguesa de Futebol.

Cristiano Ronaldo reafirma que o objetivo são os títulos coletivos. "A carreira não fica marcada pelos troféus individuais, mas sim pelos coletivos, que são os mais importantes. Por isso se ganhar será perfeito, se não ganhar paciência, a vida continua, vou continuar a ser a mesma pessoa. Mas é óbvio que gostava de ganhar, não vou ser hipócrita e mentiroso. É algo que ambiciono, mas não vou viver isto como uma guerra: se não ganhar o Mundo não acaba, injusto ou justo será o que tiver que ser, por isso tenho que viver tranquilo, continuar a ser feliz e fazer aquilo que mais sei que é jogar à bola e dar o meu melhor", completou.

Sobre a seleção nacional e as difíceis contas de apuramento para o Mundial 2014, Cristiano Ronaldo disse que os seus recordes individuais "são pouco relativos", pois acha "normal" que irá "conseguir bater os recordes", mas afirma que o mais importante é que "está na hora de conquistar algo pelo país".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG