Mundial2022: suspeitas de suborno estão a "cansar as pessoas"

O diretor de comunicação do comité organizador do Mundial2022, Nasser Al Khater, voltou a rejeitar no domingo as acusações de suborno no processo de candidatura do Qatar, dizendo que as suspeitas estão a "cansar as pessoas".

"Eu tenho a certeza que este assunto já está a cansar as pessoas. A organização do Mundial2022 continua apenas focada no trabalho que tem de continuar a realizar", comentou Al Khater, à margem da gala da Confederação Asiática de Futebol, em Manila.

Nasser Al Khater reagia às notícias do jornal britânico Sunday Times, que escreveu ter informações de que os Mundiais da Rússia (2018) e do Qatar (2022) envolveram compra de votos e trocas de favores.

"O que eu entendo dessa notícia é que ela foi levada antes ao parlamento [britânico] para ser aprovada e o jornal receber favores parlamentares", acusou o responsável, horas depois do presidente da FIFA, Joseph Blatter, insistir na mesma gala que o Mundial2022 será mesmo realizado no Qatar.

Sobre o relatório de investigação às candidaturas da Rússia e do Qatar, cujos resultados só foram tornados públicos parcialmente, Al Khater garantiu que as conclusões "não se referem ao Qatar, como muita gente quer fazer parecer".

Antes, na mesma gala, Blatter reiterou que o Qatar não corre perigo de perder a organização do Mundial2022.

"Senhoras e senhores, acreditem em mim, têm sido ditas coisas por pessoas que não sabem exatamente o que acontece no futebol", referiu Blatter.

O mesmo responsável assegurou à plateia que o campeonato irá "disputar-se no Qatar", recebendo um enorme aplauso dos delegados, num evento que juntou 400 delegados na capital das Filipinas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG