Mundial do Qatar. A cada dois dias morre um trabalhador

Amnistia Internacional denuncia que 188 trabalhadores nepaleses, que chegaram a trabalhar sob temperaturas de 50 graus, já perderam a vida.

A cada dois dias de trabalho nas obras de preparação para o Mundial 2022, no Qatar, morre um trabalhador nepalês. Foi o jornal britânico The Guardian a dar conta destes números com base numa denúncia feita pela Amnistia Internacional.

De acordo com aquele relato, em 2014 188 trabalhadores perderam a vida na preparação do evento, sobretudo devido às elevadas temperaturas - chegam a atingir os 50 graus - a que estavam sujeitos.

Os números oficiais apontam para 75 óbitos por insuficiência cardiovascular e 35 acidentes, havendo, por isso, várias mortes por justificar. O governo do Qatar já fez saber que vai investigar os casos reportados e que tenciona melhorar as condições laborais dos 964 imigrantes do Nepal, Índia e Bangladesh que chegaram àquele emirado desde 2012.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG