Mundial da Rússia e Qatar sem suspeitas de corrupção

A Comité de Ética da FIFA arquivou o processo no qual procurava apurar a existência de eventuais irregularidades.

Tudo dentro da legalidade. É essa no fundo a conclusão do processo de investigação levado a cabo pelo Comité de Ética da FIFA na tentativa de apurar a existência de corrupção na atribuição da organização dos Mundiais de 2018 à Rússia e 2022 ao Qatar.

No relatório assinado pelo presidente do Comité, Hans-Joachim Eckert, são admitidos na candidatura do Qatar "alguns indícios de potencial conduta problemática" por parte de determinadas pessoas, mas que acabaram por não comprometer o processo de candidatura.

No que diz respeito à Rússia, aquilo que o Comité de Ética apurou é que não se registaram quaisquer ilegalidades... ainda assim lamenta as limitações encontradas no acesso a alguns documentos devido ao facto de terem sido destruídos os computadores a partir dos quais foi trabalhado o processo de candidatura.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG