Mundial 2022 até ao Natal? Clubes e ligas exigem compensação

Proposta do Qatar 2022 em novembro e dezembro abre guerra entre clubes e FIFA. Instituições portuguesas ainda não se pronunciaram.

O Mundial de futebol é quando um homem quiser? Sim, e o homem - neste caso a FIFA - quer que o Qatar 2022 seja bem perto do Natal: de 26 de novembro a 23 de dezembro. A proposta, saída da reunião de um grupo de trabalho do organismo que gere o futebol mundial, está a criar ondas de choque. Clubes e ligas europeias estão contra e exigem ser compensados.

Um Mundial no inverno (ou, vá lá, entre o outono e o inverno) é algo inédito. Mas ao fim de anos de cogitações sobre o que fazer no Qatar - para fugir às altas temperaturas do verão, inconciliáveis com a prática desportiva de alta competição - isso pode estar mesmo prestes a acontecer. "Abordámos todas as opções. É óbvio que há prós e contras para todas, mas a melhor solução que se retira após todas estas discussões será novembro-dezembro", admitiu ontem o secretário-geral da FIFA, Jerome Valcke, à saída da reunião em Doha (Qatar).

A proposta, que será avaliada na próxima reunião do Comité Executivo da FIFA, a 19 e 20 de março, passará por realizar o torneio num período ligeiramente inferior ao habitual - menos de um mês - com os jogadores a ficarem à disposição das seleções apenas uma semana antes do início da prova (ou seja, a 19 de novembro). Porém, teve uma receção pouco calorosa.

Leia mais na edição impressa e no epaper do DN.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG