Morte do guarda-redes da seleção deixa Zuma "chocado"

O presidente da África do Sul, Jacob Zuma, disse esta segunda-feira estar "triste, chocado e escandalizado" com a morte do capitão da seleção sul-africana de futebol Senzo Meyima, abatido durante um assalto.

"As palavras não podem exprimir o choque que a nação sente por esta perda", disse, em comunicado, Zuma, que pediu à polícia para que não descure qualquer pista na investigação do caso.

Meyiwa, de 27 anos, estava numa casa em Vosloorus, uma pequena cidade 20 quilómetros a sul de Joanesburgo, quando foi morto a tiro, na sequência de um assalto, tendo chegado ao hospital já sem vida.

O guarda-redes atuou sempre nos Orlando Pirates, do campeonato sul-africano, e recentemente tinha conquistado a titularidade e a braçadeira de capitão da seleção, durante a fase de apuramento para a CAN2015.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG