Mancini regressa ao Inter de Milão

Esta é a segunda vez que o técnico italiano assume o comando técnico do clube "nerazzurri", depois de o ter treinado entre 2004 e 2008.

O treinador Roberto Mancini vai regressar ao Inter Milão, que treinou entre 2004 e 2008, sucedendo a Walter Mazzarri, anunciou esta sexta-feira o clube italiano de futebol.

"O Inter está orgulhoso de anunciar que Roberto Mancini é o novo treinador da primeira equipa. Ele vai começar a trabalhar amanhã [sábado]", lê-se no sítio oficial do Inter Milão, nono classificado da Liga italiana.

O antigo avançado de Bolonha, Sampdoria, Lazio e Leicester City regressa ao comando técnico dos "nerazzurri", emblema ao serviço do qual conquistou três títulos de campeão italiano, uma Taça de Itália e duas Supertaças italianas, antes de rumar aos ingleses do Manchester City, no início da temporada de 2009/10.

Além dos "citizens", que levou à vitória na Liga inglesa em 2011/12 e da Taça de Inglaterra na temporada anterior, Mancini treinou ainda os turcos do Galatasaray em 2013/14.

"Hoje tive de tomar a difícil decisão de destituir o treinador Walter Mazzarri. Foi uma decisão à qual cheguei em conjunto com a minha equipa diretiva. Foi difícil porque sempre apoiou os objetivos da nossa direção para o clube e pelos quais trabalhou incansável e abnegadamente, com crença e paixão", afirmou o presidente do Inter, o indonésio Erick Thohir.

O dirigente agradeceu o empenho de Mazzarri, realçando que o objetivo da sua direção é colocar o clube "no topo dos clubes da Europa".

"E é por isso que estou feliz por saudar o regresso de Roberto Mancini. Ele tem um historial no Inter e noutros clubes que fala por si e sei que a sua experiência internacional e ambição vão levar o clube para esse nível", frisou Thohir.

Mancini, de 49 anos, vai ser apresentado, em conferência de imprensa, durante a tarde de sábado.

Atualmente, os "nerazzurri" ocupam o nono lugar do campeonato, com 16 pontos, menos 12 do que a líder Juventus, e lideram o Grupo F da Liga Europa, à frente dos ucranianos do Dnipro, dos azeris do Qarabag e dos franceses do Saint-Étienne.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG