Juiz obriga FIFA a paragens em jogos acima de 32 graus

Um juiz do Tribunal do Trabalho brasileiro ordenou esta sexta-feira que a FIFA faça paragens de tempo nos jogos do Mundial2014 de futebol, quando estes se disputarem a mais de 32 graus centígrados, para que os jogadores possam hidratar-se.

A chamada paragem técnica para hidratação prevê que o árbitro ordene a interrupção do jogo no minuto 30 de cada uma das partes, para que os jogadores bebam líquidos sempre e quando a temperatura ultrapasse o nível considerado recomendável pelos médicos, de acordo com a sentença judicial.

O Ministério Público alegou que a FIFA prevê essa recomendação médica nos seus regulamentos e que se tinha comprometido inicialmente a atendê-la no Mundial2014, mas desistiu da ideia quando a Federação Nacional de Atletas Profissionais de Futebol (FENAP) do Brasil apresentou uma denúncia para que a medida fosse obrigatória.

"Entendo que obrigar a FIFA a cumprir uma norma que ela própria havia estabelecido não pode ser considerado como uma medida capaz de comprometer o bom andamento da competição", afirmou o juiz na sua sentença, antecipando-se às críticas de que está a impor regras para o Mundial.

O magistrado acrescentou que a determinação "tem eficácia de uma medida judicial que prevê sanções para o seu incumprimento", e garante "o respeito pela saúde no trabalho".

A FIFA, que ainda pode apresentar um recurso contra a sentença para um tribunal superior, terá de pagar uma multa de 200.000 reais (67.000 euros), em caso de incumprimento da decisão.

A interrupção dos jogos tinha sido solicitada pelos sindicatos dos futebolistas devido à decisão da FIFA de programar jogos para horas de elevadas temperaturas, como as 13 horas brasileiras, para que possam ser transmitidos em horários de grande audiência nas televisões dos países europeus.

Alegam os sindicatos que a essa hora, em cidades tropicais brasileiras como Manaus, Salvador, Fortaleza e Recife, podem pôr em causa a saúde dos futebolistas.

A FIFA inicialmente não programou jogos para as 13 horas em cidades como Manaus, Cuibá e Fortaleza, que têm os picos mais altos de temperatura no Brasil a essa hora.

Se já estivesse em vigor esta determinação desde o início do Mundial, os árbitros já teriam interrompido temporariamente os jogos entre Itália e Inglaterra, em Manaus, e Chile e Austrália, em Cuibá.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG