José Mourinho volta a "atacar" Arsène Wenger

José Mourinho, técnico do Chelsea, voltou esta sexta-feira, em conferência de imprensa, a "atacar" Arsène Wenger, do Arsenal, que defrontará no este sábado. "Arsenal é fantástico por apoiar um treinador com muitos maus momentos", atirou.

Guerra sem fim. José Mourinho não dá tréguas a Arsène Wenger, nem mesmo quando o francês está à beira de completar 1000 jogos à frente do comando técnico do Arsenal

"O único tributo que pode ser prestado é o de que todos nós gostaríamos de ter os mesmos privilégios nos nossos clubes. Admiro Wenger e o Arsenal, porque só é possível atingir 1000 jogos num clube fantástico na forma como apoia o seu treinador, especialmente quando houve muitos maus momentos", rematou o português, em conferência de Imprensa que antecedeu o dérbi londrino que se joga sábado, em Stamford Bridge, casa do Chelsea.

Numa troca de galhardetes que já vai longa, José Mourinho afirmou que "também gostaria de atingir essa marca mas é muito, muito difícil, especialmente no futebol moderno", e que já "seria fantástico atingir os 500 jogos" pelo Chelsea.

O confronto deste sábado vai colocar frente a frente duas equipas que estão na corrida pelo título de campeão inglês, situação que não desperta qualquer tipo de sentimento especial no treinador português de 51 anos:

"Não terá mais significado do que o jogo com o Aston Villa. Talvez até um pouco menos por aquilo que aconteceu em Birmingham. Não penso no Arsenal, falo sobre nós. Queremos somar o máximo de pontos possível. Se acrescentarmos três à nossa contabilidade, ótimo", concluíu.

Chelsea e Arsenal defrontam-se separados por quatro pontos, com vantagem para os "blues". No entanto, a equipa de José Mourinho tem mais um jogo (30) do que os 'gunners' (29).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG