Guiné Equatorial qualifica-se para a CAN na condição de anfitriã

A seleção da Guiné Equatorial tinha falhado a qualificação para a CAN, mas ficou automaticamente qualificada por ser o país organizador.

A decisão de atribuir, nesta sexta-feira, a organização Taça das Nações Africanas (CAN) de futebol de 2015 à Guiné Equatorial, em substituição de Marrocos, coloca os guineenses na fase final de uma prova da qual tinham sido excluídos.

A escolha da Confederação Africana da Futebol (CAF), quanto ao organizador da competição, que vai ser disputada entre 17 de janeiro e 8 de fevereiro de 2015, é controversa, uma vez que a seleção anfitriã foi desclassificada da fase de qualificação, em julho.

A Guiné Equatorial quedou-se pela primeira eliminatória de qualificação para a CAN 2015, falhando o acesso à segunda ronda e à fase de grupos, que ainda decorre, por ter utilizado irregularmente um jogador nos embates com a Mauritânia.

A organização da CAN 2015 foi retirada a Marrocos, depois de o Governo de Rabat ter pedido o adiamento da competição para 2016 por medo da propagação do vírus Ébola, tendo a seleção marroquina sido igualmente excluída da prova.

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.