Frank Ribéry põe-se ao nível de Ronaldo

O francês considerou ser tão merecedor da Bola de Ouro como o português Cristiano Ronaldo, recordando que, apesar de ter menos golos marcados, tem mais títulos conquistados.

"É verdade que Cristiano Ronaldo marcou golos, mas eu também. É verdade que ele marcou mais, mas não temos o mesmo perfil de jogo. Apesar de não marcar tanto, eu incendeio as defesas", declarou o futebolista do Bayern de Munique numa entrevista publicada esta segunda-feira pelo diário francês "Le Monde".

Ribéry lembrou que a sua atuação foi decisiva na partida da segunda mão do play-off que deu à França o apuramento para o Mundial'2014 do Brasil.

"Provoquei a expulsão de três jogadores nos dois jogos [dois diretamente e um por acumulação de amarelos] e estive presente em dois dos três golos da equipa [marcados por Sakho e Benzema] no Estádio de França", sublinhou.

O jogador gaulês admitiu que "estes pormenores chamam menos a atenção", embora se manifeste confiante na conquista do galardão da FIFA para o melhor jogador do ano de 2013.

"Não tenho qualquer temor. Fiz o que tinha de fazer e agora só me resta esperar o resultado", declarou.

Frank Ribéry rejeitou a ideia de que o adiamento por duas semanas do encerramento da votação para o melhor jogador do ano, decidido pela FIFA, o possa prejudicar face ao futebolista português do Real Madrid.

"O que era importante para mim, para ganhar a Bola de Ouro, era manter o nível e apurar-me com a França para o Mundial. Até ao momento não cometi qualquer falha", sustentou.

Na entrevista, o jogador francês afirmou ter jogado ao mais alto nível durante todo o ano, tanto no Bayern como na seleção, e viu confirmado o troféu de melhor jogador da Europa atribuído pela UEFA.

"O que conseguimos na época passada com o Bayern foi histórico", disse ainda o jogador gaulês, numa referência às vitórias do clube bávaro na Liga e Taça da Alemanha e na Liga dos Campeões Europeus.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.