Dilma vaiada na entrega da taça

A Presidente brasileira, Dilma Rousseff, foi vaiada este domingo durante a entrega da taça à selação da Alemanha, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, na final do Mundial de Futebol, noticiaram os media brasileiros.

A euforia dos adeptos alemães acabaria, porém, por abafar as ofensas dirigidas das bancadas à chefe do Estado do Brasil.

Não muito longe dela, também a cumprimentar os jogadores, estava a chanceler alemã, Angela Merkel, que viu o jogo ao lado da líder brasileira, conforme mostraram as fotografias divulgadas pela agência Reuters.

Também o presidente da FIFA, Joseph Blatter, estava presente. E outros líderes mundiais, como por exemplo o Presidente da Rússia, Vladimir Putin, assistiram igualmente à final entre a Alemanha e a Argentina, o qual terminou em vitória para a primeira com uma vantagem de uma bola a zero.

Apesar de não se ter mostrado intimidada pelos insultos, Dilma, sucessora de Lula da Silva na presidência do Brasil, saída do Partido dos Trabalhadores, já tinha sido vaiada o ano passado na abertura da Copa das Confederações, quando discursou no estádio Mané Garrincha em Brasília.

Os protestos têm sido uma constante, antes e durante o Mundial, evidenciando a revolta que existe nalguns setores da sociedade pelo facto de, num país como o Brasil, onda ainda há pobreza, se ter gasto tanto dinheiro na organização de um evento futebolístico internacional desta envergadura.

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.