Confederação Brasileira confirma saída de Scolari

O selecionador brasileiro Luiz Felipe Scolari demitiu-se na sequência das derrotas sofridas no Mundial2014 do Brasil, informou na segunda-feira a Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Além de Scolari, também o coordenador técnico da seleção "canarinha", Carlos Alberto Parreira, e os restantes elementos da comissão técnica deixaram os seus cargos, depois das derrotas sofridas perante a Alemanha, nas meias-finais (7-1), e a Holanda, no atribuição do terceiro posto (3-0).

No comunicado divulgado, a CBF não dá a conhecer ainda quem irá suceder a Scolari e que ficará responsável pela seleção brasileira durante a Copa América de 2015, que será organizada pelo Chile.

O presidente da CBF, José Maria Marin, agradeceu a Scolari por ter "devolvido ao povo brasileiro o seu amor pela seleção", apesar de não ter conseguido o "objetivo maior", que era conquistar o título mundial.

Nesta sua segunda passagem pela seleção brasileira, depois de ter conquistado o título mundial em 2002, no Mundial da Coreia do Sul e do Japão, Scolari dirigiu a equipa em 29 partidas, vencendo 19, empatando seis e perdendo quatro.

Na preparação para o Campeonato do Mundo que o Brasil organizou, Scolari conduziu a seleção brasileira à vitória na Taça das Confederações, mas viu-se confrontado com as críticas quando a seleção brasileira sofreu uma goleada histórica com a Alemanha, um resultado que o próprio técnico reconheceu ter sido uma "vergonha".

Apesar de ainda não ter sido divulgado o nome de quem sucederá a Scolari, a imprensa local aponta o brasileiro Adenor Leonardo Bacchi "Tite", ex-treinador do Corinthians e atualmente sem clube, como o nome mais forte.

Exclusivos