Capitão de Cabo Verde no "onze ideal"

O capitão da seleção de futebol de Cabo Verde, o "central" Fernando Neves ("Nando"), foi escolhido para o "onze ideal" da fase final da 29.ª edição da Taça Africana das Nações (CAN2013), que terminou domingo na África do Sul.

Segundo o jornal sul-africano Mail&Guardian, os "avançados" cabo-verdianos Héldon e Ryan foram também escolhidos, mas para o "banco de suplentes", naquela que seria a seleção ideal da CAN2013, ganha pela Nigéria, que derrotou na final o Burquina Faso por 1-0.

Entre os "eleitos" figura também o nigeriano Elderson, que atua no Sporting de Braga (Portugal).

Nando, 34 anos, atualmente no Chateauroux, da segunda divisão francesa, é o "capitão" dos "Tubarões Azuis" e, após a participação na CAN2013, anunciou que deixará a seleção para dar lugar aos mais novos, embora ainda haja a possibilidade de repensar a decisão.

O pedido nesse sentido foi feito pelo presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca quando condecorou os jogadores presentes na maior competição africana de seleções, para que possa ajudar Cabo Verde nas qualificações para o Mundial de 2014, a disputar no Brasil, e para a CAN2015, a jogar em Marrocos no início desse ano.

Ryan Mendes, jogador que milita no Lille (França), e Héldon, no Marítimo (Portugal), fazem parte dos suplentes.

O "Melhor Onze" do CAN2013 conta com quatro jogadores do Burquina Faso, quatro da Nigéria, um de Cabo Verde, um do Mali e outro do Gana.

Onze ideal da CAN2013:

- Guarda-redes: Dauda (Gana).

- Defesas: Mohammed Kofi (Burquina Faso), Nando (Cabo Verde), Kenneth Omeruo (Nigéria) e Elderson (Nigéria).

- Médios: Charles Kaboré (Burquina Faso), Obi Mikel (Nigéria), Seydou Keita (Mali) e Emmanuel Emenike (Nigéria).

- Avançados: Aristide Bance (Burquina Faso) e Jonathan Pitroipa (Burquina Faso).

Suplentes: Ryan Mendes (Cabo Verde), Héldon (Cabo Verde), Vitor Moses (Nigéria), Siyabonga Sangweni (África do Sul), Kwado Asamoah (Gana), Alain Traoré (Burquina Faso), May Mahlangu (África do Sul), Wakaso Mubarak (Gana), Sofiane Feghouli (Argélia), Adama Tamboura (Mali) e Gervinho (Costa do Marfim).

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

João Gobern

Tirar a nódoa

São poucas as "fugas", poucos os desvios à honestidade intelectual que irritem mais do que a apropriação do alheio em conluio com a apresentação do mesmo com outra "assinatura". É vulgarmente referido como plágio e, em muitos casos, serve para disfarçar a preguiça, para fintar a falta de inspiração (ou "bloqueio", se preferirem), para funcionar como via rápida para um destino em que parece não importar o património alheio. No meio jornalístico, tive a sorte de me deparar com poucos casos dessa prática repulsiva - e alguns deles até apresentavam atenuantes profundas. Mas também tive o azar de me cruzar, por alguns meses, tempo ainda assim demasiado, com um diretor que tinha amealhado créditos ao publicar como sua uma tese universitária, revertido para (longo) artigo de jornal. A tese e a história "passaram", o diretor foi ficando. Até hoje, porque muitos desconhecem essa nódoa e outros preferiram olhar para o lado enquanto o promoviam.