André Gomes espera Rodrigo, Enzo e Jackson em Valência

O novo jogador do Valência revelou ao jornal SuperDeporte que falou com o antigo colega de equipa Rodrigo sobre a nova aventura em Espanha e que lhe pediu "para ter paciência".

"Ele está à espera. O caso dele está mais complicado. Acredito que tudo se vai resolver e espero que venha para cá. Confio nisso", afirmou o jovem.

Recorde-se que os direitos económicos de Rodrigo estão na posse de um fundo ligado ao empresário Peter Lim, que está em negociações para a aquisição do Valência. Para já, o Benfica continua a manter os direitos desportivos do avançado.

Quanto às possíveis contratações de Enzo Pérez e Jackson Martínez, o médio confirmou as conversações e diz ser provável uma transferência dos dois atletas para o emblema espanhol.

"Enzo Pérez e Jackson Martínez são possibilidades. Falou-se com eles há tempos e é provável [que venham], mas tudo tem de ser acertado com Peter Lim e o clube", lembrou.

Em relação à nova experiência, André Gomes mostrou-se agradado com o sistema de jogo de Nuno Espírito Santo, um tradicional 4x3x3: "Joguei sempre como médio ofensivo desde que comecei há sete anos, no FC Porto. É uma posição com mais exigências mas é uma forma de jogar muito atrativa e onde se pratica um futebol de ataque. Vai ser um modelo para atacar com todos e defender com todos."

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.