Federação Angolana de Futebol rejeita organizar a CAN

João Lusevikueno, vice-presidente da Federação angolana, diz que Angola não tem intenção de organizar a Taça das Nações Africanas, desmentido a informação avançada pela AFP.

A Federação Angolana de Futebol (FAF) desmentiu nesta quarta-feira qualquer intenção de organizar a fase final da Taça das Nações Africanas(CAN) de futebol em 2015, substituindo Marrocos, desde logo por questões de restrição financeira.

Citando fonte da Confederação Africana de Futebol (CAF), que pediu anonimato, a AFP escreve nesta quarta-feira que "três países, no máximo, poderão estar na corrida, entre eles Angola e Gabão", à organização da prova de 2015.

"Qualquer decisão nesta matéria seria política e do ponto de vista financeiro, como foi anunciado pelo senhor Presidente da República, o país vai entrar numa série de restrições financeiras [orçamento para 2015]. Não vejo em que perspetiva é que nós iríamos organizar um CAN", afirmou à agência Lusa, em Luanda, o vice-presidente da FAF para as Relações Internacionais, João Lusevikueno.

João Lusevikueno assume ainda que da parte da FAF "não há qualquer intenção" de organizar a prova, substituindo Marrocos, por desistência, e podendo assim ocupar uma vaga na fase final. Isto numa altura que a qualificação angolana, na fase de competição, já depende de terceiros, face aos maus resultados.

"São totalmente falsas essas informações. Angola está fora, não vai tentar organizar. Angola vai tentar apurar-se e tem um jogo já no próximo sábado diante do Gabão [a contar para a penúltima jornada do grupo C de apuramento]", rematou João Lusevikueno.

Marrocos tinha proposto a alternativa de acolher a próxima CAN em 2016 devido à epidemia de Ébola que afeta a África Ocidental, alegando o risco da propagação do surto.

A CAF rejeitou a proposta e procura agora uma alternativa a sede do torneio, que vai ser disputada nas datas fixadas inicialmente: entre 17 de janeiro e 08 de fevereiro de 2015.

Citando fonte da CAF, a AFP escreve que Angola estará na corrida à organização da competição africana de futebol.

"Angola, país rico como grande produtor de petróleo, é um dos países favoritos", escreve a agência francesa de notícias sobre um dos cenários em aberto para suceder a Marrocos, país que será desqualificado da prova por ter recusado organizar a CAN2015.

Tanto Angola como o Gabão têm experiência na organização da CAN. Os angolanos foram anfitriões da edição de 2010, enquanto o Gabão partilhou a organização da prova em 2012 com a Guiné Equatorial.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG