"Disse a Götze para mostrar que é melhor do que Messi"

Selecionador da Alemanha recorda que o futebol germânico foi alvo de uma reestruturação que visava, a médio prazo, regressar às grandes conquistas. "E foi feita justiça."

O selecionador Joachim Löw considerou que o título mundial da Alemanha se deve ao trabalho realizado durante dez anos e que, finalmente, foi feita justiça com futebolistas que já mereciam uma grande conquista.

"Já estamos juntos há 55 dias. Começámos este projeto há 10 anos. Este é o resultado de muitos anos de trabalho. O nosso segredo foi termos progredido sempre, apesar de não termos conseguido este título antes. Trabalhámos muito e se há equipa que merece este Mundial são estes jogadores", começou por dizer o técnico alemão.

Löw assumiu que a sua seleção ficou triste "duas ou três vezes" nos últimos dez anos, porque, nas competições anteriores, demonstrou uma qualidade que não se viu refletida em qualquer título.

"Só os vencedores perduram. Estamos muito felizes porque mostrámos o melhor futebol. Temos uma capacidade técnica muito boa e todos tempos a ambição de realizar os nossos sonhos. Somos a primeira equipa da europa a conseguir um título na América, no Brasil, no país do futebol", destacou.

O selecionador apontou vários fatores como essenciais no caminho triunfal da Mannschaft, mas sublinhou que o estudo de jogadas ensaiadas de outras seleções e o ensaio de jogadas próprias foi uma estratégia recompensada, considerando mesmo que esse foi o "segredo" para a vitória, num encontro em que "houve oportunidades para as duas equipas", mas no qual a Alemanha foi superior, ao ter mais posse de bola e ao estar mais decidida no prolongamento.

A preparação física e mental de todos os 23 elementos foi, de acordo com Löw, outra das opções fundamentais para o quarto título mundial.

"Sabíamos que não íamos ter só 11 jogadores, que precisávamos de, pelo menos, 14. Todos tinham de estar preparados. Com estas condições de temperatura, não é certo que um jogador consiga jogar 90 minutos. Notou-se hoje na Argentina, que não estava tao fresca no prolongamento", salientou.

Essa preparação terá sido fundamental para o papel de Mario Götze, marcador do único golo, no encontro de hoje.

"O Götze é maravilhoso. Tem uma capacidade técnica incrível, pode jogar em qualquer posição. Sei que ele consegue resolver um jogo e foi o que aconteceu hoje. Disse-lhe para mostrar que ele era melhor que o Messi e para resolver o Mundial", contou

Para Löw, o tetra vai "impulsionar o futebol alemão", uma fonte inesgotável de "jogadores muito jovens, com margem de progressão".

"Não acho que vamos cair em nenhum tipo de depressão [após o triunfo]. Fica claro que com toda a emoção, com toda a pressão, é difícil perceber o que está a acontecer. Quando passar a euforia, aí pode haver uma quebra emocional. Mas esta alegria é uma alegria que vamos sentir para sempre", disse, revelando que, antes da final do Mundial2014, pediu aos seus jogadores para darem "mais do que alguma vez tinham dado no passado, porque queriam alcançar algo que nunca tinham alcançado".

O técnico alemão teve ainda palavras de agradecimento para os brasileiros, admitindo até que um dos pontos altos da sua carreira aconteceu depois do 7-1 ao Brasil, na meia-final, quando, no caminho para o aeroporto, a seleção alemã foi aplaudida por milhares de pessoas na berma da estrada.

"Disse aos meus jogadores: estamos a ir para outro continente, estamos a representar 80 milhões de alemães, temos de mostrar alegria. Queria que as pessoas sentissem que estávamos a gostar de viver este momento", concluiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG