Cléo 'saltou' do Olivais para a Liga dos Campeões

Jogador do Partizan passou pela II Divisão Nacional e revelou ao DN como Stojkovic é divertido e gosta de conversar em português...

Hoje, quando entrar em campo para jogar com o Sporting de Braga, Cleverson Gabriel Cordova, Cléo para o futebol, vai arrepiar-se com o hino da Liga dos Campeões. "É sempre assim, uma emoção, um orgulho para mim e para a minha família", contou ao DN o atleta do Partizan, que há dois anos jogava no Olivais e Moscavide da II Divisão.

Agora, está na Champions e garante que a história do jogo será diferente do encontro da primeira mão (3-1), até porque precisam vencer para sonhar com a fases seguinte. "O Partizan em casa é muito diferente do que fomos em Braga, vamos ser ultra-ofensivos", explica o brasileiro naturalizado sérvio admitindo jogar na selecção.

Elogia a equipa de Domingos Paciência: "O Sp. Braga não tem uma estrela, tem um grupo muito forte. São guerreiros na defesa e velozes no ataque, por isso temos de ter muita atenção." E diz Cléo que aprendeu muito no Olivais e Moscavide e mantém o contacto com o director, o Pedro Graça - "o meu melhor amigo"- , o Vasco Barão, o Jorge Tavares e o treinador Felipe Moreira. E gosta de ver a "evolução" dos ex-colegas Saleiro e Pereirinha.

De Portugal rumou a França e de lá até Belgrado foi um pulo. "Não era famoso na altura, fui à aventura e tive de conquistar o meu espaço. Depois não quiseram renovar e fui para o Partizan", conta o avançado. A passagem foi difícil: "Deixei de sair à rua por causa disso, tenho a família comigo e evitei sair para não ter problemas com adepto, mas uns três meses depois já saí, sem problemas."

E por isso sabe bem o que Stojkovic, guarda-redes emprestado pelo Sporting, sofre todos os dias. "Eu não era um ídolo do Estrela Vermelha, ele sim, jogou sempre lá e deu entrevista a dizer que nunca jogaria no Partizan e os adeptos não perdoam isso", conta.

Joga com o português Moreira. "É como um irmão, dividimos o quarto no hotel é uma pessoa espectacular e um grande jogador", frisa. E com Stojkovic: "É alegre, brincalhão, tem os seus problemas... mas gosta de conversar em português comigo e com o Moreira, é o oposto do que ouvimos dele. Precisávamos de um guarda-redes e ele tem ajudado a equipa. "

Falar sérvio é que é um problema e por isso Cléo recorre ao inglês. Mata saudades de Portugal pela televisão, onde assiste aos jogos da Liga. "O FC Porto está muito forte. Quem pára o Hulk? Mas o Benfica é o Benfica e o Sporting está a recuperar", lembra.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG