Cadú "vinga-se" e Cluj sagra-se campeão frente ao rival

Oito jogadores portugueses sagram-se campeões na Roménia, para além do técnico Jorge Costa, que foi despedido em abril, quando a equipa estava em primeiro lugar.

Foi com muita ironia à mistura que o Cluj, equipa que contou com oito futebolistas portugueses no plantel esta temporada, se sagrou campeão da Roménia esta sexta-feira, diante do rival Universitatea de Cluj, em jogo que tinha sido interrompido na 31.ª jornada.

Mas primeiro recuemos ao dia 8 de maio, altura em que as duas equipas se defrontaram no primeiro "round". Aos 27 minutos, o defesa português Cadú, que há muito a Roménia tenta convencer a naturalizar-se, dispôs de uma grande penalidade, que não desperdiçou. Cadú, no entanto, foi audaz nos festejos e celebrou o golo perto dos adeptos adversários, cenário que não agradou ao guarda-redes do Universitatea.

O resto, recorde-se, não foi bonito de se ver: os dois jogadores foram expulsos após uma troca de "mimos", mas o pior veio no túnel, onde Cadú acabou por ser agredido não só pelo guarda-redes, mas por outros elementos do Universitatea. O guarda-redes Beto, emprestado pelo FC Porto, contou ao DN que os jogadores só conseguiram abandonar o estádio dentro de um tanque militar.

Ora, de regresso ao dia 18 de maio, o Cluj venceu o Universitatea por 2-3, com um golo marcado de penálti, no penúltimo minuto, por... Cadú. Um pontapé com raiva à mistura, mas o português acabou por não ter tempo para ser audaz nas celebrações, isto porque acabou "engolido" pelos colegas de equipa. Note-se que o Cluj esteve a perder por 2-0, mas uma expulsão de um jogador da equipa da casa lançou os novos campeões para a reviravolta na segunda parte.

Beto, Camora, Rui Pedro, Nuno Claro, Nuno Diogo e Celestino, para além de Cadú e de Daniel Fernandes, entretanto transferido para o Twente (Holanda), celebram o terceiro título de campeão do historial do Cluj, que começou a vencer campeonatos precisamente após a chegada de jogadores portugueses à Roménia, em 2007. Jorge Costa, demitido em abril por ter sofrido uma goleada (0-5) frente ao Rapid de Bucareste, apesar de permanecer com uma confortável vantagem na liderança, não deixa de ser considerado o grande obreiro do título do Cluj.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG