Blatter diz que limitação de mandatos é só o primeiro passo na reforma da FIFA

Blatter citou Nicolau Maquiavel para advertir os responsáveis pelo processo de reforma da FIFA, observando que "o novo legislador terá como inimigos todos os que eram beneficiados pelas leis antigas".

O suíço Joseph Blatter, presidente demissionário da FIFA, defendeu hoje que a limitação de mandatos do presidente é "apenas o primeiro passo" no sentido de reformar o organismo que rege o futebol mundial.

Blatter citou o político e filósofo italiano Nicolau Maquiavel para advertir os responsáveis pelo processo de reforma da FIFA, observando que "o novo legislador terá como inimigos todos os que eram beneficiados pelas leis antigas".

O dirigente suíço reagiu na sua crónica semanal na revista do organismo às declarações do presidente da Comissão Independente de Auditoria e Conformidade da FIFA, Domenico Scala, para quem a limitação de três mandatos para a presidência é "o ponto mais importante" do processo de reforma.

Para Blatter, que pouco tempo antes de se demitir tinha sido eleito, aos 79 anos, para o quinto mandato consecutivo, "as palavras do político e filósofo italiano Nicolau Maquiavel vão aplicam-se com propriedade à FIFA nos próximos meses".

Além de ter defendido que a limitação do cúmulo de mandatos é o ponto mais importante da reforma da FIFA, Scala revelou que disse a Blatter, no momento da sua reeleição, que "não devia ter-se candidatado a um quinto mandato".

O Comité de Reforma da FIFA foi constituído na sequência do escândalo de corrupção que abalou o organismo, do qual resultou a detenção de sete dos seus membros e a demissão do seu presidente, pouco tempo após ter sido reeleito para um quinto mandato consecutivo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG