Federer e Nadal juntos em pares? A decisão cabe a Bjorn Borg

Laver Cup, a nova competição que opõe a Europa ao resto do mundo, começa hoje em Praga e junta 65 títulos do Grand Slam no elenco, que inclui o regresso de uma rivalidade lendária

Consegue imaginar um cenário em que a rivalidade entre Bjorn Borg e John McEnroe estivesse de volta aos courts, no âmbito de uma espécie de Ryder Cup do ténis com a possibilidade de ver Roger Federer e Rafael Nadal unirem forças do mesmo lado da rede num jogo de pares? Não precisa de imaginar. O cenário é real, chama-se Laver Cup e arranca hoje em Praga, na República Checa, a partir do meio-dia.

A nova competição é uma espécie de adaptação da prestigiada Ryder Cup em golfe ao mundo do ténis. Mas se nos greens o duelo é entre Estados Unidos e Europa, nos courts a disputa faz-se entre uma seleção de jogadores europeus e outra do resto do mundo, numa iniciativa que tem como mentores o suíço Roger Federer e a sua agência Team 8. O nome da competição homenageia o australiano Rod Laver, o único tenista masculino da história a ter conseguido completar o Grand Slam (ganhar os quatro majors) no mesmo ano, em 1969.

A prova começa por não fazer parte do calendário oficial do ATP, mas reúne um lote de 12 dos melhores jogadores do mundo, num cartaz que apresenta vários pontos fortes de atração, como o regresso aos courts da histórica rivalidade entre o sueco Bjorn Borg e o norte-americano John McEnroe, protagonistas de duelos épicos nos anos 1970 e 1980 e que agora, nesta Laver Cup, assumem os papéis de capitães (treinadores) das equipas europeia (Borg) e do resto do mundo (McEnroe), durante os primeiros três anos da prova.

Mas os pontos de interesse não se esgotam nessa ideia revivalista. Num elenco que reúne um total de 65 títulos individuais do Grand Slam no currículo - se juntarmos os 11 do homenageado Rod Laver aos 19 de Federer, 16 de Nadal e um de Cilic, além dos sete de McEnroe e 11 de Bjorn Borg -, a maior expetativa recai mesmo na possibilidade de a expressão Fedal, habitualmente utilizada para classificar os encontros entre Federer e Nadal, ser aplicada em Praga a um mesmo lado da rede, numa dupla de pares formada pelos dois tenistas com mais títulos majors da história.

Para Rafa, "jogar com Roger seria incrível". E o suíço garante também que lhe "encantaria" a possibilidade. Isto num ano em que ambos voltaram os relógios atrás no tempo e dominaram a temporada do ATP World Tour, regressando aos dois primeiros lugares do ranking e dividindo até irmãmente entre eles os quatro títulos do Grand Slam (Austrália e Wimbledon para Federer, Roland-Garros e US Open para Nadal).

A decisão, porém, está nas mãos de Bjorn Borg, o capitão da seleção europeia, que para o primeiro dia, hoje, escolheu uma dupla formada por Nadal e Tomas Berdych.

Aqui chegados, expliquemos regras e formato desta Laver Cup. Antes de mais, cada equipa é composta por seis elementos, os quatro com melhor ranking elegíveis e dois escolhidos pelos respetivos capitães. A prova prolonga-se por três dias e em cada um deles há três partidas de singulares e uma de pares, a dois sets e com um supertiebreak de 10 pontos em caso de empate. Cada encontro de sexta-feira vale um ponto, os de sábado dois e os de domingo três. No final, ganhará a primeira equipa a chega aos 13 pontos, num total de 24. Se houver empate a 12, jogar-se-á uma decisiva partida de pares.

Ora, uma dupla Federer-Nadal é, além de tudo o mais, certamente um trunfo de marketing difícil de desprezar em edição de estreia. A menos que Borg queira transformar-se num vilão universal.

As equipas

Europa Ranking ATP

Rafael Nadal 1º

Roger Federer 2º

Alexander Zverev 4º

Marin Cilic 5º

Dominic Thiem 7º

Tomas Berdych 19º

Treinador: Bjorn Borg

Resto do Mundo

Sam Querrey 16º

John Isner 17º

Nick Kyrgios 20º

Jack Sock 21º

Denis Shapovalov 51º

Frances Tiafoe 72º

Treinador: John McEnroe

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG