"Não viemos cá para ver o Barça jogar"

Vítor Pereira garante que o FC Porto tem argumentos para derrotar "a melhor equipa" que já viu jogar e ganhar o troféu

O treinador do FC Porto reconhece o valor especial da equipa que amanhã vai defrontar na Supertaça Europeia, no Monaco, mas não entrega o trofeu ao Barcelona. "Não tenho qualquer problema em reconhecer que é provavelmente a melhor equipa que vi jogar na minha vida", admitiu Vítor Pereira, realçando no entanto ao longo de toda a conferência de imprensa que os dragões vêm para esta final convencidos que podem ganhar a essa melhor equipa de sempre. "Estamos cá por mérito próprio, em sequência de uma época brilhante. E estamos cá reconhecendo no Barcelona uma grande equipa, um grande clube, um grande treinador. Mas não viemos cá para vê-los jogar, viemos cá para vencer este jogo e preparámo-nos para amanhã sermos capazes de dar uma resposta à altura deste jogo", garantiu, deixando o favoritismo "em aberto" para esta final.

De resto, o técnico portista promete mesmo disputar a posse de bola com este Barça de Guardiola que faz da bola precisamente a sua bíblia - nunca no reinado de Guardiola o Barcelona teve menos de 50% de posse de bola. "O FC Porto é uma equipa que gosta de ter bola, proporcionar bons espectáculos, tem exigências com a qualidade de jogo. Gostamos de ter bola para dominar o jogo. E isso são ideias que vêm no mesmo comprimento de onda do Barcelona. Por isso acredito que vai ser um grande espectaculo amanhã , repetiu exaustivamente Vítor Pereira ao longo do discurso.

É um compromisso de honra de que o treinador portista não abdica, a identidade da equipa. Por isso, o FC Porto surgirá "no mesmo modelo e filosofia que tem trabalhado ao longo do último ano. Acreditamos no nosso trabalho e no caminho que seguimos", disse. E nesse tom prosseguiu, mesmo quando lhe lembraram a saída do ex-chefe de equipa, André Villas-Boas, e uma justificação dada na altura por Pinto da Costa para a ida do técnico para o Chelsea - o presidente portista chegou a dizer que Villas-Boas lhe confessara ter "receio de levar três ou quatro do Barça". Na sua estreia europeia, e logo numa final, Vítor Pereira quer passar a imagem de ambição. "Acreditamos que temos argumentos para contariar o jogo do Barça e ganhar esta final", repetiu, negando ainda que tivesse sido contactado directamente por alguém para seguir com Villas-Boas para o Chelsea.

Já sobre a ausência do lateral uruguaio Alvaro Pereira - associada a uma eventual saída para o Chelsea - e a influência do mercado de transferências nalguns jogadores da equipa, Vítor Pereira disse que "estão aqui (no Monaco) os jogadores que estão em melhores ocndições para este jogo", mas voltou a lamentar o fecho tardio do mercado, que "não deixa preparar um jogo destes com a tranquilidade e concentração que exige". O técnico acabou por admitir que o mercado provoca em alguns jogadores "uma natural instabilidade emocional devido à temporada que fizeram no ano passado". "Mas é algo com que temo de viver normalmente", concluiu.

Por fim, Messi e Mourinho. O argentino "não se pára com marcações especiais, mas com o colectivo". Já sobre o treinador português e as polémicas da última supertaça espanhola, que tanto a imprensa de Barcelona como de Madrid procuram espremer até ao limite,Vítor Pereira não quis entrar no filme: "Não é de bom tom comentar, não tem nada a ver com o jogo de amanhã"

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG