Nantes não vai facilitar saída de Sérgio Conceição para o FC Porto

Treinador eleito para o lugar de Nuno Espírito Santo pediu para sair do clube francês, que não gostou da "traição" e exige uma indemnização para o libertar. Fundo Doyen representa o treinador e pode ajudar na transferência.

Sérgio Conceição invocou "razões pessoais" e pediu para deixar o comando do Nantes, mas ninguém tem dúvidas de que o pedido se deve ao interesse do FC Porto, clube onde foi campeão nacional por três vezes. Até ao fecho desta edição o treinador ainda não tinha rescindido. E, segundo o DN apurou, o clube francês não vai facilitar e exige uma indemnização para deixar sair o técnico português, até porque Conceição renovou contrato até 2020 com o emblema francês... há um mês.

O líder do Nantes não está disposto a abdicar de receber pelo menos seis milhões de euros, valor do contrato que Conceição assinou (dois milhões/época). No entanto, segundo soube o DN, Waldemar Kita foi apanhado de surpresa e ficou de tal maneira furioso com o treinador que ameaçou retê-lo, exigindo 15 milhões, valor muito acima da bolsa portista, mais habituada a vender treinadores do que a comprar. O FC Porto aceitará pagar por Conceição mas só mediante uma verba muito mais baixa.

O treinador já tinha a pré-época 2017-18 planeada e o Nantes estava na segunda-feira (dia em que Sérgio pediu para sair) a negociar com dois jogadores indicados pelo técnico, que era também a imagem de uma campanha do Nantes de venda de lugares anuais.

O facto de Sérgio Conceição ser representado pela Doyen Sports pode ajudar a desbloquear esta situação, pois o fundo terá todo o interesse em investir na transferência da Ligue 1 para o FC Porto, o que a acontecer provocará uma situação curiosa, já que Sérgio Conceição tem dois filhos a jogar nos rivais, um no Benfica e outro no Sporting.

Em declarações ontem à imprensa francesa, o presidente do Nantes confessou ter ficado "estupefacto" com o pedido do português. O DN tentou contactar Sérgio Conceição, mas até ao fecho desta edição não foi possível. Já fonte oficial do FC Porto disse não ter novidades sobre o treinador ou se o pedido de saída de Sérgio Conceição estava relacionado com os dragões.

Certo é que esta não é a primeira vez que o ex-jogador do FC Porto tem um pé no Dragão. Tal como o DN noticiou, o técnico então no Vit. Guimarães foi opção para o banco portista na época passada, depois da saída de Lopetegui, mas Pinto da Costa optou por José Peseiro. Agora volta a estar em cima da mesa... se o Nantes facilitar.

Ontem, um mês depois de renovar contrato com o técnico português até 2020, o presidente do clube francês foi surpreendido com um telefonema do português a dar conta do desejo de sair. "Ele quer sair e estou estupefacto. Não entendo isto, não entendo. Ele está a abandonar-me. Organizámos tudo à volta dele para a próxima temporada", lamentou Waldemar Kita ao jornal 20 minutes, mostrando o seu desagrado para aquilo que os adeptos chamaram de "traição".

O assunto dominou ontem as atenções em França e em Portugal. "Ele acabou de renovar. Acho que isto não é correto. Não será estranho, agora, que os jogadores entrem no mesmo tipo de chantagem. Passa uma mensagem errada aos jogadores, não é uma forma correta de se comportar. Isto pode estragar a próxima época", defendeu Christophe Dugarry, antigo internacional francês, considerando, porém, que o Nantes não tem outra opção se não "deixá-lo ir".

O FC Porto, contudo, tem outras opções para o lugar de Nuno Espírito Santo. Depois de Marco Silva ter deixado de ser hipótese (assinou pelo Watford), ontem mesmo alguns meios de comunicação italiano, entre eles a Sky Itália, apontaram Paulo Sousa ao Dragão por dois anos mais um de opção.

Nuno Espírito Santo no Wolves?

O Wolverhampton, equipa do segundo escalão inglês que terminou a época na 15.ª posição, anunciou ontem a saída do treinador Paul Lambert, abrindo assim a porta a... Nuno Espírito Santo. Tal como o DN noticiou no dia em que o técnico deixou o FC Porto, a possibilidade de o ex-dragão ir treinar os Wolves era a hipótese mais séria. Até porque Nuno é representado por Jorge Mendes, que acumula o cargo de consultor do grupo financeiro chinês Fosun, dono do Wolverhampton.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG