Moutinho e James estão a caminho do Mónaco

Os dois jogadores do FC Porto viajaram esta quarta-feira para o Principado para ultimarem o acordo com a equipa francesa.

Está confirmada a notícia avançada em primeira mão pelo Diário de Notícias. João Moutinho e James Rodríguez viajaram esta quarta-feira para o Mónaco , na companhia do empresário Jorge Mendes, para acertarem os respectivos vínculos com o clube monegasco.

A estação italiana Sky já dava o negócio como consumado na terça-feira, ao noticiar que os dois jogadores do FC Porto já estavam assegurados pelo clube monegasco, que esta temporada garantiu o regresso à Ligue 1 francesa.

O Monaco pagará ao FC Porto 70 milhões de euros pelos dois jogadores, ainda de acordo com a Sky Italia, que não refere que fatia deste montante corresponderá a cada jogador. A operação terá sido conduzida pelo diretor desportivo do clube do Principado, Riccardo Pecini.

Não há no entanto, para já, qualquer confirmação ou desmentido oficial quer do Monaco quer do FC Porto, que ainda não comunicou qualquer acordo à CMVM.

James Rodriguez tem contrato com o FC Porto até 2016 e uma cláusula de rescisão fixada em 45 milhões de euros. Já João Moutinho tem contrato até 2015 e uma cláusula no valor de 40 milhões. Em caso de transferência do médio, que foi contratado ao Sporting por 11 milhões de euros, o FC Porto terá ainda de compensar os leões com 25% da mais valia gerada pelo negócio.

O Monaco é propriedade do milionário russo Dimtry Rybolovlev, que, segundo a imprensa francesa, quer investir 200 milhões de euros no reforço da equipa para a colocar entre a elite europeia. O avançado Falcao, ex-FC Porto e atualmente no At. Madrid, é outro nome que tem sido dado como potencial reforço do Monaco para a próxima temporada.

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Na hora dos lobos

Na ação governativa emergem os sinais de arrogância e de expedita interpretação instrumental das leis. Como se ainda vivêssemos no tempo da maioria absoluta de um primeiro-ministro, que o PS apoiou entusiasticamente, e que hoje - acusado do maior e mais danoso escândalo político do último século - tem como único álibi perante a justiça provar que nunca foi capaz de viver sem o esbulho contumaz do pecúlio da família e dos amigos. Seria de esperar que o PS, por mera prudência estratégica, moderasse a sua ação, observando estritamente o normativo legal.