Lopetegui pede um FC Porto extraordinário com o Bayern Munique

O treinador portista avisa que pela frente estará um adversário que é "dos melhores da história"

O treinador Julen Lopetegui afirmou esta terça-feira que "só um FC Porto extraordinário em todos os sentidos" pode discutir com o Bayern Munique a passagem às meias-finais da Liga dos Campeões.

"Estamos a falar de um Bayern Munique de máximos históricos. Um dos melhores da história, com um dos melhores treinadores da história, vai exigir-nos uma resposta extraordinária em muitos sentidos, nomeadamente o coletivo. Temos toda a ambição, ilusão e respeito, bem como a intenção de sermos protagonistas, como sempre", vincou.

Na antevisão ao desafio desta quarta-feira (19.45 horas) no Estádio do Dragão, o técnico espanhol espera que a sua equipa faça um jogo perfeito, pois entende que a qualidade e competência do rival a isso obrigam.

Lopetegui desvaloriza as várias ausências no Bayern Munique -- "os que vão jogar são competentes" -, recordando que os bávaros vão ter "oito ou nove campeões do Mundo em campo", o que torna irrelevante qualquer discussão quanto a baixas, que também o afetam, nomeadamente Cristián Tello, havendo ainda a dúvida quanto à utilização de Jackson Martínez, convocado após longa ausência.

"Não vamos pensar nos que faltam, mas nos que estão, que são os que têm de ajudar ao objetivo. É um desafio colossal, mas temos a sã intenção de ser protagonistas e fazer um grande jogo, que é o que nos vão exigir se queremos competir com eles", reforçou.

O técnico não revelou qualquer pista sobre a equipa e sublinhou que "o importante é a resposta coletiva", desprezando a questão dos "favoritismos": "Temos demasiada energia focalizada para dar reposta a equipa extraordinária e fazer bem as coisas. Não pensamos à-priori se ser ou não favoritos nos deixa mais confortáveis".

"Temos a necessidade de fazer um jogo de máximos, em todos os aspetos, defensivos e ofensivos", concluiu, antes de considerar irrelevante mostrar aos atletas a final da Taça dos Campeões de 1987, por considerar tratar-se de "desafios diferentes em momentos distintos" da história de ambos os clubes.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG