Sérgio Conceição e o recorde de pontos: "Passa-me ao lado"

"Foco principal" do treinador do FC Porto é o jogo de sábado com o Vitória de Guimarães. Mercado de transferências "fica à porta do Olival".

Para o treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, o "foco principal" é só um: o último jogo da I Liga 2017/18, frente ao Vitória de Guimarães (sábado, 16:00, na cidade-berço). A hipótese de bater o recorde de pontos da I Liga, em casa de triunfo, passa-lhe ao lado. E o mercado de transferências (quanto a entradas e saídas do clube, incluindo a sua) também. As garantias foram deixadas pelo treinador, esta sexta-feira, na conferência de imprensa de antevisão do encontro com o clube minhoto.

"O foco principal é este jogo. A estatística passa-me ao lado. Claro que ficaremos contentes com essa marca dos 88 pontos, mas não passa disso mesmo. Nunca fez parte do meu discurso", apontou o técnico. "Preparo o jogo não a pensar em recordes, mas sim com o intuito de ganhar", acrescentou, sem querer revelar em que jogadores vai apostar (nomeadamente, se vai dar os primeiros minutos na I Liga aos guarda-redes Vaná e Fabiano). "Não posso, porque isso não faz parte daquilo que sou enquanto treinador, daquilo que é a minha comunicação e gestão. Se fosse a dizer, vocês sabiam quem ia defender, quem ia ficar no banco... Nunca fiz isso. Tirando o Felipe, que já sabem que vai jogar [uma compensação, por ter falhado o jogo com o Feirense, por castigo], o resto vão saber amanhã", explicou Sérgio Conceição.

De resto, o treinador do FC Porto também não abriu o jogo quanto ao futuro - o seu e dos outros ativos do plantel. "Tudo o que é mercado neste momento não é importante, nem quero falar disso. Acho que, neste momento, o foco é preparar bem o jogo de amanhã", disse, sem deixar garantias aos adeptos quanto à próxima temporada. ""Não tenho de garantir nada. Não há nada para garantir. Sempre disse que tudo o que seja mercado, entradas e saídas, fica à porta do [centro de treinos] Olival. E fica. Não quer dizer que não se esteja já a pensar na próxima época, mas não é no Olival que se passa isso. É fora daqui", concluiu.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...