Sérgio Conceição dá gás ao tabu sobre a sua permanência

Treinador que colocou um ponto final em cinco anos de jejum portista continua a não descansar os adeptos. Desvaloriza igualar o recorde pontual do Benfica de Rui Vitória

É o tabu do momento no futebol português e está sem sem fim à vista, sem qualquer luz ao fundo do túnel para desespero dos adeptos do FC Porto que só descansarão quando tiverem a garantia de que o treinador que lhes proporcionou um campeonato, após cinco anos sem qualquer troféu, vai cumprir o seu segundo e último ano de contrato.

"Não tenho de garantir nada. Sempre disse que tudo o que seja mercado ficava à porta do Olival. Não dou nada como garantido, sempre foi esse o meu discurso. Para mim foi bom partilhar com vocês [jornalistas] algumas situações. É assim que eu estou no futebol e aproveito para agradecer a vossa paciência por chegar, algumas vezes, atrasado. Numa ou outra vez, sinto que o tempo se esticou um bocadinho e por isso peço-vos desculpas. Sempre disse, tudo o que seja mercado, ficava à porta do Olival. E fica, mas isso não quer dizer que não se esteja a preparar a próxima época, mas isso é no Dragão", sublinhou, para depois manter a tónica fintando a questão, dando como álibi o encontro desta tarde em Guimarães (16.00, SprotTV1): "Tudo aquilo que é mercado neste momento não é importante. Não quero falar sobre isso. O foco é preparar bem o jogo, num ambiente de grande satisfação pela conquista do campeonato. O ADN do FC Porto é uma grande ambição e determinação, uma grande vontade de disputar cada lance como se fosse o último, é o rigor, a disciplina. Temos de manter isso perante uma equipa que merece todo o respeito. O Vitória tem de lutar por objetivos maiores." E a resposta manteve-se quando confrontado com a vontade do presidente Pinto da Costa em manter Casillas.

Como o DN já avançou, Sérgio Conceição está a ser cobiçado por Inter de Milão e Everton e para permanecer no Dragão pretende garantias de que vai ter um plantel com a mesma qualidade que aquele que liderou esta época.

Com o título no bolso o FC Porto pode fazer a sua melhor pontuação de sempre e igualar o recorde do campeonato que pertence ao Benfica de Rui Vitória, que na época 2015/16 chegou ao fim com 88 pontos. No entanto, este recorde parece pouco ou nada dizer a Sérgio Conceição.

"Isso a mim passa-me um bocado ao lado. Claro que o foco foi preparar o jogo da melhor forma, vamos atrás dos três pontos. Ficaremos contentes se o conseguirmos. Coincide com essa marca, mas não passa disso. O recorde de pontos nunca fez parte do meu discurso", explicou, para depois fazer um agradecimento. "Conseguimos fazer um bom trabalho, meter toda a gente no mesmo barco. Quero agradecer a todas essas pessoas que tiveram de levar comigo durante todo o ano e não é nada fácil", reusmiu Sérgio Conceição que hoje pode tornar campeões os guardiões Fabiano e Vaná, este último foi mesmo o único reforço no início da temporada.

Entretanto, o FC Porto divulgou ontem o programa de festejosna Avenida dos Aliados, que se iniciam às 15.00 e entrarão pela noite com a entrega da medalha de honra da cidade a Pinto da Costa e ainda o regresso, após 19 anos, à varanda da câmara.

Peseiro e o entusiasmo

Outro treinador com o futuro em aberto é José Peseiro, ex-técnico do FC Porto e que hoje vai estar no banco do Vitória de Guimarães. "Jogar contra um dos três grandes é sempre entusiasmante. Jogar contra o campeão mais ainda. Não há jogos diferentes, mas há que pensar de forma realista e assumir que é um jogo mais mediatizado", disse o ribatejano, com problemas para apresentar uma formação competitiva visto que Pedro Henrique está castigado, Welthon, Celis e João Vigário estão afastados devido a lesão e Raphinha e Hurtado estão em dúvida.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.