Rui Barros: "Queremos chegar à final"

Treinador interino vai fazer esta quarta-feira o segundo jogo como técnico principal, frente ao Boavista.

Rui Barros estreou-se no comando técnico do FC Porto com um triunfo por 5-0 no Bessa, mas não acredita em facilidades no segundo duelo com o Boavista, agora para a Taça de Portugal. "Esse jogo já passou. É uma outra competição, é um jogo da Taça, a eliminar, em que eles, se calhar, também vão estar mais fortes, mas nós vamos ter mais concentração ainda. Aqueles 5-0 acontecem e temos de estar preparados para uma partida que vai ser mais difícil. Queremos chegar à final e isso passa pelos jogadores estarem com o máximo de concentração para este jogo", afirmou o treinador interino dos dragões ao Porto Canal, que vai fazer esta quarta-feira o segundo jogo como técnico principal.

Segundo Rui Barros o Boavista "é uma equipa com alguma agressividade, com jogadores que têm o seu valor, que joga no contra-ataque, com bolas longas, tem jogadores altos e são perigosos nas segundas bolas. O Boavista tem a sua história na Taça de Portugal e, neste jogo, que é logo a seguir ao da Liga, vai querer demonstrar outra atitude e outro valor. Vai ser um dérbi muito interessante".

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.