Paulo Fonseca: "O problema está na finalização"

Treinador do FC Porto sente "o apoio de todos" e vai continuar a acreditar nas suas "ideias", defendendo que falta melhorar a finalização para ter uma equipa "quase perfeita".

Paulo Fonseca continua a sentir o "apoio de todos dentro do FC Porto", apesar de ter visto lenços brancos nos dois últimos jogos no Dragão, com desoladores empates contra Nacional e Áustria Viena, ambos 1-1. O técnico é um nome contestado pela massa adepta, mas assegura que mantém total confiança no seu trabalho e vai manter as suas "ideias".

"O que vejo é um FC Porto que não conseguiu ganhar mas com aspetos muito positivos. Ainda nos últimos dois jogos fizemos 60 remates, no último jogo 39 cruzamentos e no anterior 41. Falta afinar a finalização, não me parece que o FC Porto não esteja a produzir bom futebol, falta afinar a finalização para sermos uma equipa quase perfeita. O problema é a finalização. O FC Porto tem produzido, tem sido uma equipa muito ofensiva", defendeu Paulo Fonseca, na antevisão ao jogo com a Académica, marcado para sábado.

A insistência num modelo de jogo assente em 4x2x3x1, com "duplo pivô" e elevada dependência dos desequilíbrios provocados pelos laterais nas alas, será para manter. "Tenho de continuar a acreditar nas minhas ideias. Os indicadores dão-me confiança e não acredito em mudanças repentinas, em mudanças momentâneas. Acredito sim que, para mudarmos as coisas, é preciso trabalhar. Não se preveem grandes alterações", vincou Fonseca.

Embora a finalização seja um problema e a dependência de um Jackson Martínez em subrendimento evidente, o FC Porto tem acumulado vários erros defensivos, mas o técnico diz saber inverter a situação. "Passa, essencialmente, por sermos uma equipa mais concentrada na defesa e mais determinada e agressiva na zona de finalização. É evidente que produzimos, criamos situações, mas falta finalizar", insistiu.

Em Coimbra, só a vitória será admissível, caso contrário Benfica e Sporting poderão destronar o FC Porto. "Todos os jogos são difíceis. Acima de tudo, espero um FC Porto determinado, concentrado e ambicioso. Estamos focados para o que temos de melhorar e estou convicto de que a equipa vai dar uma excelente resposta", vincou, antes de justificar o porquê de nomes como Kelvin e Quintero não terem maior tempo de jogo: "Para vocês [dirigindo-se aos jornalistas] é fácil falar, mas sou eu que trabalho com eles todos os dias..."