Há 41 anos que o dragão não marcava tantos golos em casa

A equipa de Sérgio Conceição leva 21 remates certeiros em cinco jogos no Dragão, o melhor desde a equipa de Pedroto em 1976-77

Há 41 anos que não se via nada assim no reino do dragão. O FC Porto de Sérgio Conceição tem o melhor ataque nos cinco primeiros jogos que realizou em casa no campeonato desde a longínqua época de 1976-77. São até ao momento 21 golos marcados e nesta noite (20.30, SportTV1) o Belenenses vai ser colocado à prova perante o poder ofensivo dos portistas, que leva uma média superior a quatro golos por partida disputada no seu reduto.

Nesta noite, o ataque portista surgirá desfalcado de Marega (além de Soares e Otávio), lesionado frente ao RB Leipzig, mas ainda assim não se adivinha tarefa nada fácil para os azuis do Restelo, que nas últimas três visitas ao Dragão contabilizam duas derrotas, uma por 3-0 e outra por 4-0, embora nesta época apenas por uma vez tenham sofrido mais de dois golos nos cinco jogos que a equipa de Domingos Paciência disputou fora de casa: uma mão cheia na visita ao Benfica.

Melhor do que isto, para o FC Porto, só em 1976-77, temporada que marca o início da era Pinto da Costa, então como diretor do departamento de futebol, que contratou o histórico José Maria Pedroto para treinador da equipa que chegou ao final dos primeiros cinco jogos nas Antas com 23 remates certeiros - 3-0, ao Portimonense, 5-2 ao Beira-Mar, 8-2 ao Atlético, 5-2 ao Sp. Braga e 2-0 à Académica.

Nesse início de carreira da equipa de Pedroto, que no final não foi além do terceiro lugar no campeonato e marcou no total 57 golos em casa (média de 3,8 golos por jogo), Fernando Gomes foi o grande goleador da equipa, com oito golos, dos quais seis foram marcados ao Atlético. O peruano Teófilo Cubillas foi autor de seis golos, tendo os restantes sido da autoria de Duda (3), António Oliveira (2), Seninho (1) e Júlio (1), com os dragões a beneficiarem ainda de dois autogolos no jogo com o Sp. Braga.

Em comparação com esta época, a dupla atacante Aboubakar e Marega soma seis golos cada um, com Brahimi a contabilizar três, Marcano faturou por duas vezes e os restantes golos foram de Francisco Soares, Ricardo Pereira, Felipe e Jesús Corona. Até ao momento, no Estádio do Dragão, os resultados menos avolumados do FC Porto foram com o Moreirense e o Desp. Chaves, ambos por 3-0, sendo o mais gordo diante do Paços de Ferreira por 6-1. O Estoril deixou o relvado dos portistas vergado a uma goleada de 4-0, enquanto o Portimonense foi batido por 5-2.

Recorde na Constituição

Se tivermos em conta as 84 edições do campeonato nacional disputadas até ao momento, verificamos que a equipa treinada por Sérgio Conceição tem o oitavo melhor registo de sempre nos primeiros cinco jogos disputados em casa, sendo os cinco melhores registos do FC Porto todos anteriores a 1950, numa altura em que se marcavam muitos golos.

O ranking é liderado pela equipa de 1939-40, treinada pelo húngaro Miguel Siska, que chegou ao quinto jogo no então Campo da Constituição com 30 golos, dos quais 12 apontados pelo croata Franjo Petrak, que terminou o torneio com 29 remates certeiros, tantos quantos o sportinguista Fernando Peyroteo. Essa equipa portista sagrou-se campeã nacional com um total de 50 golos em casa (média de 5,5 por partida).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Operação Marquês

Granadeiro chama 5.º mais rico do mundo para o defender

O quinto homem mais rico do mundo, o mexicano Carlos Slim Helú, é uma das 15 testemunhas que Henrique Granadeiro nomeou para serem ouvidas na fase de instrução do processo Marquês. Começa hoje a defesa do antigo líder da Portugal Telecom, que é acusado de ter recebido 24 milhões de euros do GES para beneficiar o grupo em vários negócios.