FC Porto vai recorrer ao Tribunal Arbitral do Desporto

"Liga Salazar", "polvo fascista" e árbitro "mentiroso" são alguns dos termos utilizados pelo diretor de comunicação na reação à decisão do Conselho de Disciplina da FPF em manter castigo ao argelino

O FC Porto não se conforma com a manutenção do castigo que vai impedir Brahimi de ser utilizado este sábado em Chaves e reagiu de forma dura através da sua newsletter Dragões Diários, anunciando que vai recorrer ao Tribunal Arbitral do Desporto.

Num texto assinado pelo diretor de comunicação portista, Francisco J. Marques, o árbitro Tiago Antunes, quarto árbitro que deu indicações para a expulsão de Brahimi em Braga, na jornada 29, é acusado de ser "mentiroso", ao mesmo tempo que os dragões lamentam que o CD da FPF tenha preferido acreditar na versão do árbitro em detrimentos das testemunhas apresentadas pelo FC Porto, mantendo o castigo de dois jogos aplicado ao jogador argelino.

"O recurso em que o FC Porto pedia a despenalização de Brahimi foi rejeitado pelo Conselho de Disciplina da FPF, que, sem imagens que atestassem a veracidade do que alegou Tiago Antunes, quarto árbitro no jogo Braga-FC Porto, optou por dar como certa a versão do árbitro. O que está em causa é muito simples, entre os testemunhos de um ex-capitão da seleção nacional, como é João Pinto, e um médico já com uma longa e idónea carreira, como é Nélson Puga, o Conselho de Disciplina acreditou, ou quis acreditar, na versão do mentiroso Tiago Antunes", lê-se.

"A Liga Salazar lá vai fazendo o seu caminho, cada vez mais longe da verdade desportiva", acrescenta o diretor de comunicação, para quem "a moral desta história é muito simples: se os árbitros já sabiam que podiam não apitar grandes penalidades evidentes, como recentemente aconteceu com Manuel Oliveira e Rui Costa, nos jogos com o Setúbal e o Feirense, sem que penalização alguma lhes aconteça, agora também sabem que podem mentir a seu bel-prazer nos relatórios, desde que não haja imagens".

Os dragões prometem continuar a "combater o polvo fascista".

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.