FC Porto-Liverpool: a minha pressão é melhor que a tua?

Sérgio Conceição concentrado no duelo com o Liverpool

Sérgio Conceição quer um dragão "pragmático e objetivo" contra os ingleses, num duelo entre equipas que gostam de exercer grande pressão sobre os adversários

Gegenpressing. É neste palavrão - a combinar a palavra alemã gegen (contra) com a inglesa pressing (pressionar) - que está alojada a alma das equipas de Jürgen Klopp, como o Liverpool que esta noite visita o Dragão para enfrentar o FC Porto na primeira mão do duelo dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Simplificando o conceito, gegenpressing é a capacidade para exercer uma pressão alta sobre o adversário, imediatamente a seguir ao momento da perda de bola, para não o deixar sair a jogar. Ora, uma pressão intensa sobre a construção de jogo do adversário tem sido também imagem de marca deste FC Porto de Sérgio Conceição, o que faz aguçar o apetite para a batalha tática desta noite no Estádio do Dragão.

Ontem, na antevisão da partida, o treinador portista não quis alongar-se em análises táticas ao adversário ou sobre a melhor forma de parar a produtiva frente de ataque do Liverpool (94 golos marcados já nesta época, segundo melhor ataque da fase de grupos da Champions, com 23). "Se fosse falar desses pontos abriria a minha estratégia do jogo. E não posso. Falamos amanhã depois do jogo. Peço imensa desculpa", escusou-se de forma sincera.

Mas Sérgio Conceição avisou que o sonho não pode tolher a objetividade no plano de jogo. "O sonho é importante, é preciso ir atrás dele, mas é preciso sermos pragmáticos e objetivos", frisou.

Poderá esse pragmatismo significar uma tática parecida com a adotada por Carlos Carvalhal, o último treinador português a bater o Liverpool (pelo Swansea, na Premier League)? "A Liga dos Campeões é diferente do campeonato inglês. O Swansea está a lutar para sobreviver e o contexto é diferente", desvalorizou Sérgio Conceição, depois de dar os "parabéns ao Carlos pelo bom trajeto, assim como o Nuno Espírito Santo e outros treinadores portugueses com bom trabalho em Inglaterra".

Para Pedro Bouças, treinador de futebol que é autor e cofundador no blogue Lateral Esquerdo, no qual reflete sobre ideias e táticas de diversas equipas do futebol português e internacional, essa vitória do Swansea pode mesmo ser uma boa inspiração para o FC Porto hoje à noite. Entre "duas equipas com reação muito forte à perda de bola", diz, "baixar um pouco a pressão e convidar o Liverpool a subir com bola, para ter mais metros nas costas dos defesas que permitam lançar melhor os ataques rápidos em profundidade", pode ser uma "armadilha" eficaz, aponta Bouças.

No fundo, para um FC Porto de altas pressões, comprovadamente agressivo na reação à perda de bola - é a equipa da Liga portuguesa com mais recuperações (1331) e interceções de passe (358), segundo dados disponibilizados pelo site goalpoint.pt -, o duelo com um Liverpool à sua semelhança levanta um dilema que poucas vezes surge nas competições nacionais. "É importante o FC Porto tomar precauções adicionais, jogar com inteligência, estar precavido para os momentos de perda de bola. O Sérgio não deve abrir muito a equipa, para não correr riscos face a essa pressão muito alta que o Liverpool consegue exercer", nota Pedro Bouças, que acha que Klopp manterá a fórmula de sempre. "Não é um treinador que se adapte muito ao jogo dos adversários. Também por isso perde mais vezes do que deveria numa equipa com aquela qualidade", diz.

Uma batalha tática que promete animar o Dragão, num jogo para o qual o FC Porto não contará com Danilo (lesionado) nem com Felipe (castigado), mas que terá Marcano (recuperado de lesão). Já Aboubakar "está difícil", disse Sérgio Conceição.

Relacionadas

Últimas notícias

Brand Story

Tui

Mais popular

  • no dn.pt
  • Desporto
Pub
Pub